25 prefeitos de MT aumentam patrimônio

0
6

THALYTA AMARAL

Gazeta Digital

Quatro anos após terem vencido as eleições, 25 prefeitos do interior de Mato Grosso voltam para a disputa com um patrimônio maior do que o que foi declarado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em 2016. Destes, 20 são milionários, ou seja, possuem mais de R$ 1 milhão em bens e dois se destacam pelo crescimento expressivo durante o mandato eletivo.

Até 23 de setembro, dos candidatos à reeleição, a maior fortuna era do prefeito de Nova Canaã do Norte (699 km ao norte de Cuiabá), Rubão (PDT). Em 2016 ele declarou R$ 11,9 milhões e neste ano R$ 25,9 milhões, o que representa um aumento de 116,54%.

Entre as aquisições no período de 4 anos estão um investimento no Banco do Brasil de R$ 306,7 mil, um caminhão basculante Mercedes Benz de R$ 107 mil e um terreno adquirido em Nova Canaã do Norte por R$ 288,4 mil.

O pecuarista José Guedes (MDB), prefeito de Rondonlândia (1.600 km a noroeste), não declarou nenhum bem na eleição de 2016. Mas ao cadastrar sua candidatura este ano ele informou um patrimônio de R$ 8,6 milhões sendo R$ 150 mil em dinheiro, uma fazenda avaliada em R$ 7,5 milhões e 657 cabeças de gado.

Entre os 25 prefeitos, teve quem já tinha uma fortuna considerável, como Antônio Jordão (DEM), de Novo São Joaquim (465 km a leste). Ele já foi eleito prefeito em 2004, perdeu a disputa em 2008, se elegeu em 2016 e agora tenta a reeleição. O agricultor declarou R$ 14,7 milhões em 2016 e neste ano R$ 16,2 milhões, que incluem bens como uma fazenda de 150 hectares em Araguaia (PA) avaliada em R$ 781,2 mil, uma fazenda de 412 hectares no mesmo município de R$ 2,1 milhões, além de aplicações em bancos e um veículo.

Também estão no time dos prefeitos milionários Edu Pascoli (PL), de Itanhangá (150 km ao norte), que foi de R$ 5,6 milhões para R$ 8 milhões; Zeca Zamoner (DEM), de Nova Guarita (897 km ao norte) que tinha R$ 5,8 milhões e agora tem R$ 6,6 milhões; e Antônio Leite (MDB), de Tesouro (379 km ao sul), de R$ 3,7 milhões para R$ 6,4 milhões.

Cédulas de dinheiro 

Com fortunas um pouco mais modestas, mas que ainda assim aumentaram durante o mandato, estão Eduardo Vilela (Republicanos), de Figueirópolis D’Oeste (406 km a oeste), de R$ 3,2 milhões para R$ 5 milhões; Carlos Sirena (DEM), de Juara (709 km a médio-norte), de R$ 2,6 milhões para R$ 4,8 milhões; Adão Belchior (DEM) de Novo Santo Antônio (1.063 km a noroeste), de R$ 3,5 milhões para 4,9 milhões; e Maurício do Posto Caramujo (PSD) de Peixoto de Azevedo (691 km ao norte), que saiu de R$ 2,8 milhões e para 3,3 milhões.

Declararam fortunas com mais de R$ 1 milhão os prefeitos Juvenal Alexandre (PSDB), de Nova Marilândia (392 km a médio-norte), que foi de R$ R$ 2 milhões para R$ 3 milhões; Silmar Souza (DEM), de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao sul), de R$ 1,2 milhão para R$ 2,4 milhões; Abmael Silveira (PL), de Vila Rica (1.259 km a nordeste), de R$ 982,2 mil para R$ 2,4 milhões; Janailza Taveira (SD), de São Félix do Araguaia (1.200 km a nordeste), com R$ 2 milhões em 2016 e R$ 2,3 milhões em 2020; Carmen Martines (DEM), de Carlinda (762 km ao norte), de R$ 1,9 milhão para 2,8 milhão; e Rodrigo do Posto (PSD), de Santa Carmem (530 km ao norte), de R$ 1,2 milhão para R$ 1,7 milhão.

Nessa lista, teve também quem passou a ser milionário durante o mandato, como Marcelo de Aquino (PL), de General Carneiro (442 km a leste), que tinha patrimônio de R$ 385 mil e foi R$ 1,2 milhão; também é o caso de Marilza Oliveira (MDB), de Nova Brasilândia (215 km ao sul), que foi de R$ 444,8 mil para R$ 1,1 milhão; e Marquinhos do Dedé (MDB), de Paranatinga (373 km ao sul), de R$ 835 mil para R$ 1 milhão.

E também foram registrados aqueles que mesmo aumentando o patrimônio não chegaram a valores vultuosos, como Getúlio Neto (PSB), de Araguaiana (563 km a leste) de R$ 430 mil para R$ 786 mil; Paulo Remédio (DEM), de Glória D’Oeste (442 km a oeste), de R$ 518,8 mil para R$ 748,8 mil; Cláudio do Posto (MDB), de União do Sul (719 km ao sul), de R$ 311,3 mil para R$ 578 mil; Joabe Xiru (PSDB) para R$ 390 mil; Sirineu Moleta (MDB), de Tabaporã (643 km a médio-norte), de R$ R$ 203,1 mil para R$ 378,8 mil; e Altir Peruzzo (PT), de Juína (735 km a noroeste), de R$ 270 mil para R$ 274,4 mil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui