Opinião

A importância de jogos e brincadeiras na educação infantil

Eurides Martins de Freitas*

As atividades lúdicas são excepcionalmente importantes no aprendizado das crianças, pois são atividades que interessam, unem e requer concentração. A partir de jogos, brincadeiras e brinquedos, a criança consegue criar, fantasiar, idealizar, experimentar, enfim, aprender. Mas, há inúmeras escolas veem às atividades lúdicas apenas como uma diversão ou passatempo para complementar as horas vagas, um intervalo de descanso ou como um horário de a criança gastar sua energia, e não levam em consideração a importância dessa hora.

O brinquedo é um objeto de brincar e atividade lúdica, o senso comum determina o brinquedo à inconsequência, à futilidade, a não seriedade, como nas expressões: “deixe de ri que isso não é brincadeira”. O que induz alguns adultos a qualificar a brincadeira a apenas como passatempo; não tendo valor significativo para a formação (social, cognitivo, psicológico, físico), como o estudo escolar é atribuído pelos pais ou responsáveis, considerando os conteúdos formais e essenciais para o desenvolvimento da aprendizagem.

O brinquedo possibilita a formação, sendo fruto da sua imaginação, o brinquedo tem como característica principal a motivação, pois a partir dele possibilita a criação do mundo imaginário vital para o desenvolvimento do ser humano, desde o brinquedo a criança aprende como proceder sobre o mundo, interagindo e se comunicando com os demais integrantes daquele meio, em casa ou na escola.


É através da brincadeira que a criança desenvolve o saber cognitivo, pela motivação proporcionada pela brincadeira, sendo que esta viabiliza o seu aperfeiçoamento com o passar do tempo, do raciocínio da criança, bem como diversos modos de encontrar soluções para determinadas situações vivenciadas na brincadeira, por conseguinte, o que foi vivenciado na brincadeira pode ser transferido para a realidade da criança.

Sabe-se que os professores são profissionais capacitados e tem como função identificar, elaborar e organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem as barreiras. Esses são os desafios que os professores especializados precisam colocar em prática na vida diária com os alunos especiais, conhecemos escolas onde existem números elevados de crianças especiais e que na mesma não acontece a inclusão e sim interação, assim, então o professor deverá usar de recursos lúdicos a fim de oferecer apoio aos alunos em sala-de-aula.

A proposição deve ser realizada em equipe, conduzindo os alunos a se auxiliarem mutuamente. O professor deve ainda fazer uma boa análise antes de aplicar o instrumento avaliativo, verificar sobre clareza e grau de dificuldade.

Eurides Martins de Freitas é pedagoga e atua como TDI na Creche Macaria Militona de Santana em Cuiabá-MT

Leia Também

Comentários