Esporte

Ação e o Operário vão receber R$ 500 mil, cada, do Programa Mato Grosso na Série A

O programa chegou às Séries C e D por emenda à lei proposta pelo deputado Wilson Santos

Robson Fraga

Os times Sociedade Ação Futebol, de Santo Antônio do Leverger, e o Operário, de Várzea Grande, serão os primeiros mato-grossenses da Série D do Campeonato Brasileiro beneficiados pela lei 11.550/2021. Ambos vão receber do Governo do Estado, já este ano, R$ 500 mil, cada um, para estampar nos uniformes a marca de Mato Grosso.

A informação foi confirmada nesta quinta-feira (6.01), em reunião entre representantes das equipes, acompanhados pelo deputado estadual Wilson Santos (PSDB) e pelo diretor da Federação Mato-grossense de Futebol, Humberto Frederico, e o governador Mauro Mendes (DEM). O secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho, esteve presente.

O benefício faz parte do Programa Mato Grosso Série A, gerido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT). Ele permite o repasse de R$ 3,5 milhões aos Clubes que disputam a Série A do Brasileirão e R$ 1 milhão àqueles que estiverem na Série B. Não havendo inscritos nestas duas categorias, o benefício é estendido às subsequentes (C e D).

De acordo com a Lei, de autoria do Governo do Estado, em vigor desde novembro de 2021, o objetivo central é “difundir as potencialidades turísticas, econômicas e ambientais do estado de Mato Grosso”. A publicidade deverá estar estampada nos uniformes das equipes e no painel onde jogadores, técnicos e representantes do time concedem entrevistas.

“O incentivo é para que os times possam trabalhar melhor e chegar na Série C, na B e quem sabe, um dia, sonhar também em estar na Série A. Este aporte leva o nome de Mato Grosso a todo o país através da exposição da nossa marca. Vamos ajudar estas equipes”, disse o governador.

Vale ressaltar que o dinheiro será dividido pelo número de times inscritos na competição. Todos devem estar devidamente registrados na Federação Mato-grossense de Futebol, ligada à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que organiza o campeonato. Além de cumprir as exigências da lei.

Legislação

Inicialmente, os repasses eram apenas para as equipes das Séries A e B. Uma emenda à lei, proposta pelo deputado Wilson Santos (PSDB), garantiu que as equipe das séries subsequentes fossem incluídas no programa.

“Esta Lei nasceu para ajudar as equipes de Mato Grosso a se desenvolverem e, assim, estimular que cheguem às grandes competições. Portanto, dar condições financeiras aos clubes. […] Com este dinheiro os times poderão comprar material esportivo, melhorar suas instalações, manter a folha em dia e custear as viagens durante o campeonato. Nada mais justo que ratear os valores entre todos os que disputam o campeonato Brasileiro em suas diferentes Séries”, explicou o deputado.

“Sem dúvida nenhuma, a gente tem, agora, uma segurança a mais. Hoje mesmo, a gente deve entregar a documentação solicitando este valor. Vai ajudar muito a nossa equipe e também dar ao campeonato uma maior competitividade porque todo clube vai querer também uma vaga nas Séries D, C, B e A. Estamos muito gratos ao deputado Wilson e ao governador Mauro Mendes”, disse o presidente do Ação, João Benedito.

O diretor de futebol do Operário também ressaltou a importância da Lei.

“Os clubes pequenos enfrentam sérias dificuldades econômicas que nos impedem de montar equipes mais competitivas para avançarmos nas competições. Este repasse vai permitir investimentos em infraestrutura esportiva. Que bom que o benefício foi estendido às Séries C e D”, ressaltou Muller Meira.

Leia Também

Menu