Política

‘Bom senso vai imperar’, diz Mendes após procurador tentar barrar toque de recolher

GAZETA DIGITAL

O governador Mauro Mendes (DEM) rebateu o posicionamento do procurador da República Everton Pereira Aguiar Araújo, de Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá), que questionou o toque de recolher imposto no estado e ingressou com ação para tentar barrar o decreto estadual que determina normas restritivas contra a covid-19.

À imprensa, nesta quarta-feira (03), o chefe do Executivo estadual disse que o “bom senso vai imperar” neste caso. Mendes também questionou as afirmações feitas pelo procurador, que afirmou que não haveria fundamento científico que justificasse o toque de recolher.

O governador citou que ações semelhantes foram feitas por membros do Ministério Público em diversos locais do Brasil sem sucesso. Por fim, o democrata afirmou que não gostaria de aplicar as restrições, mas que prefere as medidas do que ver a população morrer por conta do vírus. “Gostaria de saber de onde esse cidadão que hoje está no MPF tirou essas informações. Opinião dele deve ser respeitada, vai para o Judiciário e não tenho dúvida que o bom senso vai imperar”, disse o governador.

“Não gostaria de fazer isso, mas também não quero ver as pessoas morrendo na porta dos hospitais, porque a maioria quer levar uma vida normal, transmitindo a doença. E o mundo comprovou isso: o vírus é transmitido pelas pessoas, para as pessoas”, acrescentou.

Leia Também

Menu