CDL Cuiabá revela que mais de 90% dos empresários usam criatividade para superar crise

Pixabay
Diante do momento de incertezas em relação à economia e buscando contribuir com os associados e empresários em geral de diversas formas, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá), através do seu núcleo de inteligência de mercado, estará apresentando nos próximos meses uma série de pesquisas levantadas junto a segmentos varejistas da capital e também a população.
O objetivo principal é o levantamento de possíveis áreas para atuação e desenvolvimento de ferramentas que possam ajudar a otimizar os resultados de empresas; Identificar temas de gestão empresarial que o empresário está focando sua atenção para a retomada; Identificar preocupação com novos comportamentos frente a gestão comercial, marketing, pessoas, relacionamento e oportunidades de novos negócios, além de identificar questões de controle financeiro e demais aspectos legais e medidas adotadas.
Para o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja, “esse é o momento de saber o que o empresário e a população pensa, de que forma estão agindo diante do cenário atual, para depois pensarmos em novas estratégias que possam contribuir para superarmos o momento, por isso, estamos em busca desses dados”, disse.
O resultado da primeira pesquisa realizada pela entidade está focado nas empresas associadas ao CDL, mostra como está o comportamento do empresário frente à crise da pandemia de coronavírus. A maioria dos entrevistados foi do sexo masculino (53,7%) e graduados (67,4%). A idade dos que responderam a pesquisa, a maioria é com idade entre 31 e 60 anos (78,8%) e com média de 14 funcionários (15,20%).
CENÁRIO DO NEGÓCIO
Em relação ao cenário atual, 82,5% dos empresários entrevistados disseram que estão muito ansiosos em relação ao seu negócio neste momento. “A ansiedade é fator de preocupação por não saber as consequências da pandemia para a empresa”, explica o superintendente da CDL Cuiabá.
NOVO RAMO
Perguntados sobre o interesse em entrarem em um novo ramo temporariamente, 70,9% dos lojistas discordaram, demonstrando não haver interesse, contra 26,6% que pensam nesta possibilidade.
OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS
Sobre se tem procurado oportunidade de negócios associados a pandemia, a pesquisa demonstra que 52,4% tem buscado novas oportunidades de negócios associados a pandemia, contra 42,6% que discordam dessa possibilidade.
“Esse resultado reflete ao fato de que alguns empresários conseguem ver oportunidades, mesmo nos momentos de crise, já outros estão conseguindo se reinventar dentro do seu próprio negócio”, comenta Granja.
QUALIFICAÇÃO SOBRE O NEGÓCIO
Os dados levantados ainda pela pesquisa revelam que 79,9% dos lojistas têm buscado agregar novos conhecimentos sobre seu negócio (ramo de atuação) neste período de quarentena.
“Esses dados nos mostram que realmente teremos um cenário diferente pós-pandemia. As pessoas estão procurando se preparar para um novo momento que viveremos e isso é extremamente positivo”, avalia o superintendente.
CRIATIVIDADE PARA ENFRENTAR A CRISE
Já para enfrentar momentos como este, de crise, 91% dos respondentes afirmaram tentar ser “Criativo”.
Para Granja, “nesse ponto está o que chamamos de se reinventar, estar atento ao que acontece de alteração no mercado. É uma informação muito positiva para nós”.
PRIORIZAR O NEGÓCIO
Sobre se acredita que priorizar o seu negócio é também uma forma de priorizar o bem-estar da família, 92,4% dos entrevistados responderam que sim.
NECESSIDADES EMPRESARIAIS X PESSOAIS
No total,  97,4% dos entrevistados concordaram com a afirmativa de se tentar manter o equilíbrio de prioridades entre atividades empresariais e pessoais.
“Esses dados mostram que é preciso equalizar negócios, família, saúde, entre outros”, analisa o superintendente.
IMPACTO NOS NEGÓCIOS
Perguntados sobre o medo dos impactos deste período de quarentena em meus negócios, inclusive possibilidade de falência, 64% dos entrevistados afirmaram que sentem medo e temem a Falência. Já 32,6% revelaram estar tranquilos.
“Infelizmente estávamos saindo de uma crise e combater o desconhecido é um grande desafio, por isso esse resultado”, comenta Granja.

FERRAMENTAS DE GESTÃO
Sobre se estão utilizando ferramentas de gestão de custos operacionais para minimizar os danos da quarentena, 81,2% dos entrevistados concordam que estão utilizam esses meios, contra 16,3% que discordaram de estarem utilizando esses recursos.

“O foco tem sido também olhar para dentro da operação, gerir ainda melhor as finanças”, conclui o superintendente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *