Policial
Nenhum comentário

Comitê de Inteligência vai fortalecer combate integrado ao crime organizado nos estados

O Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil (CONCPC) reativou, durante reunião realizada em Brasília, o Comitê Nacional dos Chefes de Inteligência, que passa a ser presidido pelo diretor de Inteligência da Polícia Civil de Mato Grosso, delegado Juliano Carvalho.

O Comitê de Inteligência foi criado em 2018 para assessorar o Conselho dos Chefes de Polícia Civil dos 26 Estados e Distrito Federal no assunto de inteligência policial, especialmente na definição de estratégias de combate ao crime organizado e lavagem de dinheiro.

O delegado Juliano Carvalho explica que cabe ao comitê estabelecer diretrizes para uniformizar os procedimentos dos órgãos de inteligência, bem como elaborar a Estratégia e o Plano Nacional de Inteligência de Polícia Civil, além de assessorar o CONCPC em matérias de inteligência policial, especialmente as atinente as definições de estratégias de combate ao crime organizado e à lavagem de dinheiro.

“Para a Polícia Civil de Mato Grosso é uma honra compor esse comitê ao lado de profissionais extremamente capacitados e compromissados com a Segurança Pública no país. Juntos, vamos trabalhar para fortalecer a atividade de inteligência, com foco na capacitação de nossos profissionais, que é o maior ativo de todas as Policias. A integração das ações de inteligência, de sistemas operacionais, intercâmbio de profissionais, de informações e recursos tecnológicos, promovidos pelas reuniões do Comitê de inteligência, será crucial no enfrentamento a criminalidade organizada por meio da Polícia Civis”, afirmou o diretor de Inteligência.

A delegada Nadine Anflor, Delegada-Geral de Polícia Civil do Rio Grande do Sul e presidente do CONCPC, destaca que o fortalecimento da rede de inteligência entre todas as Polícias Civis possibilitará a troca de informações e experiências práticas da atividade, tudo, com foco no combate às organizações criminosas e a lavagem de dinheiro.

O Comitê de Inteligência tem como vice-presidente executivo o delegado Saulo Ribeiro Lopes, PCDG; e as vice-presidências regionais são representadas pelos chefes de inteligência das Polícias Civis de Santa Catarina (Sul), Rondônia (Norte), Pernambuco (Nordeste), Minas Gerais (Sudeste) e Mato Grosso do Sul (Centro-Oeste).

“Com o avanço das investigações financeiras no combate ao crime organizado, aumentou consideravelmente a necessidade da criação de uma padronização mínima de estruturas orgânicas e funcionais no ambiente da inteligência das polícias civis, de modo a garantir o fluxo sistemático e contínuo de informações relevantes do tema, tanto em relação ao assessoramento estratégico, como no operacional, prevenindo, reprimindo e controlando a criminalidade organizada”, destacou a delegada Simone de Aguiar Cunha Marques, Chefe de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco, que representa a região Nordeste no Comitê de Inteligência.

O vice-presidente executivo do Comitê de Inteligência, delegado Saulo Lopes, chefe de inteligência do Distrito Federal, frisa que além de estreitar laços de confiança e permitir uma troca mais rápida de informações, o CIPC também propiciará o intercâmbio de sistemas informatizados e recursos tecnológicos entre as agências. “A reativação do Comitê Nacional de Chefes de Inteligência de Polícia Civil representa o fortalecimento das atividades de inteligência de todas as Polícias Civis do país, pois promoverá a integração e a cooperação entre todas as agências centrais de Polícia Judiciária Estadual. O combate ao crime organizado se dá através da união de esforços e desígnios nas ações dos órgãos de inteligência”.

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso, Mário Dermeval Resende, que é vice-presidente do CONCPC, pontua que a reativação do comitê é uma ferramenta importante de integração e interlocução entre os estados. “O delegado Juliano é um profissional de inteligência respeitado no País e Mato Grosso ganha com essa inclusão no comitê, que pode colaborar sobremaneira na troca de experiência e mais avanço para a inteligência nas investigações policiais”.

O vice-presidente do CONCPC informou ainda sobre a criação do Comitê de Tecnologia com as Polícias Civis que integram o conselho para que possam trabalhar sistemas conjuntos que alcancem mais celeridade aos processos investigativos e modernização das polícias.

CONCPC

É composto pelos chefes e delegados-gerais das Polícias Civis dos 26 estados e Distrito Federal e foi criado em 1998 para fortalecer práticas e experiências entre as instituições integrantes e qualificar a investigação criminal. Além disso, o CONCPC coordena operações nacionais para combater os mais diversos crimes em que a atribuição para investigação é das Polícias Civis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Leia Também

Menu