Indústria

Construção de asfalto, rede de distribuição de gás e Batalhão do Corpo dos Bombeiros pelo Governo levam desenvolvimento ao Distrito Industrial

A região do Distrito Industrial em Cuiabá passa por mudanças significativas a partir de investimentos do Governo do Estado, na construção de asfalto, do Batalhão do Corpo de Bombeiros e do gasoduto, que será instalado em mais de 70 empresas, inicialmente, e depois irá beneficiar 260 indústrias. As três obras estão previstas para ser concluídas ainda neste ano.

As ruas do polo industrial estão recebendo asfalto novo, com investimentos de R$ 21 milhões da Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra). São 461.760 metros quadrados de 23 ruas e seis avenidas asfaltados. A obra já está 75,58% executada.

A construção do prédio do Batalhão no Distrito Industrial será um ganho enorme para a comunidade e para os empresários. Hoje, a unidade que atende a região fica no bairro Coxipó, a cerca de 7 km de distância.

O novo prédio vai custar R$ 4,2 milhões, em recursos do Governo de Mato Grosso e do Ministério Público Estadual (MPE). Até agora 55% da obra foi realizada e a previsão de entrega é setembro de 2023.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Alessandro Borges, afirma que a nova unidade vai atender a população dos bairros vizinhos, como o Pedra 90 – um dos maiores bairros da capital -, e também as indústrias da região.

“A unidade vai otimizar e diminuir o nosso tempo de resposta nas ocorrências, como também contará com uma equipe especializada em atendimentos envolvendo produtos perigosos. Esta região não só conta com indústrias, como também um grande fluxo de caminhões que chegam da BR-163, carregados com produtos muitas vezes altamente inflamáveis”, destaca.

O novo batalhão ainda será importante na formação e capacitação de bombeiros militares, já que um centro de treinamento será instalado no local. “Teremos um amplo espaço com salas de aulas e instrumentos de treinamento, como contêineres. Os bombeiros estarão ainda mais aptos para o combate de incêndios urbanos e rurais, além de salvamentos em altura”, explica o comandante.


Rede de distribuição de gás

Com investimento de R$ 33,2 milhões, o gasoduto que está sendo construído no Distrito deve resultar na economia de até 50% no custo das operações das empresas, com o armazenamento do gás natural trazido da Bolívia, e ainda reduzir os impactos sociais e ambientais.

A tubulação terá 30 km de extensão e capacidade para fornecer 4,5 milhões de metros cúbicos de gás natural por mês. Na obra é usada a tecnologia de furo direcional, um método não destrutivo e que não requer a retirada do asfalto para a instalação do duto.

Essa será a primeira rede de distribuição de gás natural estadual, após 20 anos de espera.

A obra já está com cerca de 20% de execução e pretende reduzir os custos das empresas, atrair novos investidores e gerar novos empregos no setor industrial da baixada cuiabana.

“Para a construção da rede de distribuição de gás, o governo do estado está adotando as melhores tecnologias construtivas disponíveis no mercado que minimizam impactos ambientais e sociais; através da prática de perfuração direcional, metodologia não destrutiva (MND) que reduz a abertura de asfalto em 95%, não sendo necessário danificar o local para a instalação do duto, o que gera economia aos cofres públicos e evitando obstruções de vias e transtornos à população”, diz o presidente da MT Gás, Rafael Reis.

As obras começaram em agosto do ano passado e devem ser concluídas no início do segundo semestre.

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia Também