CidadesSaúde

COVID-19 atinge natalidade e Cartórios do Mato Grosso registram o menor número de nascimentos em janeiro

Nove meses após o primeiro mês com a pandemia instalada no Brasil, casais optam por não ter filhos e número de registros de nascimentos atinge o menor patamar, em relação à 2020

A pandemia do novo coronavírus não só deixou um rastro de mais de 3,5 mil mortos entre a população mato-grossense, como também começa a causar impactos futuros, atingindo as taxas de natalidade em Mato Grosso. Levantamento da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de Mato Grosso (Arpen/MT), com base nos registros de nascimentos realizados nos 155 Cartórios de Registro Civil existentes no estado, mostra uma queda histórica de 20,8% nos nascimentos em janeiro de 2021, primeiro mês após o período normal de gestação, desde a chegada da COVID-19 no Brasil, em que os casais optaram por ter filhos ou não, já com a crise sanitária instalada no País.

Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil (https://transparencia.registrocivil.org.br/inicio), repositório de estatísticas dos atos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil). Em janeiro deste ano, foram realizados 4.097 nascimentos, número 20,8% menor que o registrado em janeiro do ano passado, quando houve 5.176 registros. O número é ainda quase 25 pontos percentuais menor que a média estadual do mês de janeiro desde 2002, que é de 2,47% ao ano, número que se repete quando se olha o período anual.

No Brasil, os números de nascimentos em janeiro também tiveram queda, chegando a 15,1%, com relação ao mesmo período de 2020. Foram registrados 207.901 nascimentos em janeiro de 2021, frente a 244.974 ocorridos no mesmo mês do ano anterior. Em âmbito nacional, a média histórica de variação do mês de janeiro também é de 0% ao ano, a mesma porcentagem de variação quando analisados os números do período anual.

“A pandemia do coronavírus tem afetado a população brasileira de várias formas. No Registro Civil, os primeiros grandes impactos foram nos óbitos e nos casamentos, agora, percebemos que os casais também estão optando por adiar o sonho de terem filhos”, explica o presidente da Arpen-Mato Grosso, Rogério Campos Ferreira.

O número de nascimentos registrados em 2021 ainda pode vir a aumentar, assim como a variação da média anual, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o nascimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência. Além disso, alguns estados brasileiros expandiram o prazo legal para comunicação de registros em razão da situação de emergência causada pela COVID-19.

Sobre a Arpen-Brasil

Fundada em setembro de 1993, a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) representa a classe dos Oficiais de Registro Civil de todo o País, que atendem a população em todos os estados brasileiros, realizando os principais atos da vida civil de uma pessoa: o registro de nascimento, o casamento e o óbito.

Assessoria de Imprensa da Arpen-Brasil
Assessores de Comunicação: Alexandre Lacerda, Bruna Martins e Deborah Viveiros
Tel: (11) 99614-8254 / (11) 94834-5879 / (11) 97221-2597 / (11) 95650-7500
E-mail: imprensa@arpenbrasil.org.br
URL: www.arpenbrasil.org.br

Leia Também

Menu