Política

Emanuel aciona Justiça contra banner do governo que ‘ataca’ prefeitura

GAZETA DIGITAL

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), anunciou na segunda-feira (8) que entrou com uma ação na Justiça contra um banner do Estado que ataca a Prefeitura da Capital. Na propaganda, a gestão estadual aponta “deficiência” do Executivo municipal em prestar atendimento básico da saúde.

Emanuel fez a declaração durante coletiva de imprensa na qual anunciou que a Prefeitura encaminhou projeto de lei à Câmara Municipal de Cuiabá para aderir ao consórcio da Frente Nacional de Prefeitos. A participação do Executivo municipal na aliança busca agilizar o processo de aquisição de vacinas contra a covid-19.

À imprensa, o prefeito declarou que o governo do Estado chegou ao “fundo do poço” com a divulgação do banner, no qual ataca diretamente os trabalhos realizados pela prefeitura. “Nunca vi nos meus 30 anos de vida pública nada parecido. Usar dinheiro público para fazer uma propaganda institucional para atacar o adversário político”. “Dai você vê o nível, o fundo do poço em que chegou o governo do Estado. Desespero total. De minha parte, eu alertei a Procuradoria Geral do Município e entramos com uma medida cautelar que corre em sigilo com produção antecipada de provas. As medidas serão tomadas e anunciadas no momento oportuno”, acrescentou o prefeito.

A propaganda citada pelo prefeito é um banner fixado no Centro de Triagem, na Arena Pantanal, na qual o governo veicula a seguinte mensagem: “O governo de MT presta atendimento no Centro de Triagem covid-19 para suprir a deficiência da Prefeitura, que deveria oferecer esse serviço nos PSFs e UPAs”. A imagem do banner foi amplamente veiculada durante o último fim de semana em redes sociais.

Além do banner, a Prefeitura de Cuiabá emitiu nota contra outra propaganda veiculada pelo governo do Estado. Neste caso, o material confrontado pelo Executivo municipal é uma peça veiculada na televisão na qual a gestão estadual afirma que as decisões do decreto com medidas mais duras contra o novo coronavírus foram tomadas em conjunto entre o Estado e todos os 141 municípios. “Em nenhum momento a Prefeitura de Cuiabá participou de qualquer diálogo promovido pelo Executivo Estadual para adotar tais medidas emergenciais de combate à disseminação da Covid-19. Trata-se, portanto, de decisão unilateral e antidemocrática”, cita trecho do comunicado oficial da Prefeitura.

Leia Também

Menu