Política

Emanuel volta a desafiar Mendes a deixar o Governo durante campanha

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), rebateu nesta segunda-feira (5) as acusações feitas pela coligação liderada pelo governador Mauro Mendes (UB). O gestor estadual acusa o chefe do Executivo municipal de estar utilizando a máquina pública do Palácio Alencastro para beneficiar a candidatura de sua esposa, a primeira-dama da capital, Márcia Pinheiro (PV).

A coligação de Mauro Mendes acionou o prefeito judicialmente, através do advogado Rodrigo Cyrineu. De acordo com os autos, Emanuel Pinheiro estaria utilizando a publicidade institucional da Prefeitura de Cuiabá para beneficiar a candidatura de sua esposa. O grupo do governador pediu a suspensão das publicações irregulares, além da aplicação de multa, chegando a pedir a inelegibilidade do casal.

Emanuel, que anunciou que sairá de férias na próxima quinta-feira (8), destacou que deixará o cargo momentaneamente exatamente para não sofrer este tipo de críticas. Em uma transmissão recentemente, em suas redes sociais, o prefeito chegou a sugerir ao governador que fizesse o mesmo.


“Estou saindo da Prefeitura justamente para evitar esse tipo de comentário e até desafiei o governador a fazer o mesmo. Vamos entrar inclusive com uma ação, onde veremos quem é que está utilizando a máquina pública. O governador Mauro Mendes está distribuindo sacolão adoidado para tudo que é lado, sem critério e nem parceria com os municípios, beneficiando candidatos a deputados estaduais e federais de sua coligação, em um flagrante crime eleitoral, com abuso de poder econômico”, afirmou.

Emanuel chegou a insinuar que alguns ex-secretários de Governo de Mauro Mendes estariam ainda utilizando alguns órgãos públicos, como a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, como uma espécie de ‘comitê de campanha’.

Leia Também