Política

Fávaro defende retomada do auxílio emergencial

Da Redação

O senador Carlos Fávaro (PSD-MT) afirmou ser favorável à aprovação de uma proposta que assegure novas parcelas do auxílio emergencial à população. Para o parlamentar, o prolongamento da pandemia da Covid-19 exige do Poder Público a busca em dar dignidade a milhões de pessoas que perderam seus empregos e suas oportunidades de trabalho e esta deve ser a prioridade para o momento.

A extensão do auxílio emergencial foi debatida nesta segunda-feira (8) pelo Colégio de Líderes no Senado e, em breve, deverá avançar no Legislativo. “A pandemia não acabou. Ainda há muitas pessoas passando fome, passando necessidade e o momento agora faz com que tenhamos que dar dignidade aos brasileiros, com a transferência de recursos”, afirmou Fávaro que também é favorável à extensão do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Fávaro lembrou que o pagamento da primeira fase do auxílio emergencial foi possível graças à aprovação do chamado orçamento de guerra, que criou um déficit da ordem de R$ 743 bilhões, e que isso não será possível em 2021. “Em meu primeiro pronunciamento da tribuna do Senado, neste ano, ressaltei que temos a obrigação de seguir com o auxílio, mas com responsabilidade. Aprovar um novo orçamento de guerra traria mais um rombo que lá na frente seria pago pela população, o que não podemos deixar acontecer”.

Por isso, o senador entende que é necessário um ajuste nos gastos públicos de modo a garantir que ao menos uma parcela da população, a mais vulnerável, receba o benefício. “Conversei com o presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e externei que só há um lugar para cortar, em investimentos. Então, que cortemos os investimentos a curto prazo, cuidemos das pessoas e, em breve, passada a pandemia, poderemos fazer o Brasil voltar a crescer”.

Ao longo de 2020, o auxílio emergencial foi pago a mais de 67 milhões de brasileiros, representando uma transferência de renda da ordem de R$ 292 bilhões.

Empresas – Fávaro também defendeu a manutenção do Pronampe, criado para auxiliar micro e pequenas empresas a arcarem com seus custos durante a pandemia. No total, mais de 450 mil contratos de concessão de crédito foram firmados, injetando na economia outros R$ 28 bilhões. “Este também foi um grande acerto e precisa ser mantido. São empresas familiares, pessoas que trabalham por conta e que não possuem condições de se manterem sem crédito. Vamos buscar formas de manter este auxílio”, finalizou o senador.

Leia Também

Menu