Política

França afirma que não pagará dívidas de Emanuel: “vai virar precatório”

Caso seja eleito, o ex-prefeito quer agir diferente de suas gestões anteriores

Da Redação

O ex-prefeito de Cuiabá, Roberto França (Patriota), afirma que não herdará dívidas da gestão do atual prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), se eleito, no pleito de novembro. Assim, ele diz que não pretende cometer o mesmo erro quando assumiu o Alencastro pela primeira.

“A minha experiência me ensina a não cometer o mesmo erro que foi pagar dívida dos outros. Se porventura eu pegar dívida de novo, a  dívida do gestor atual vai para o Ministério Público, vai o Tribunal de Contas, e vai virar carta de crédito, vai virar precatório”, afirmou durante entrevista ao Jornal do Meio Dia, exibido na tarde da última sexta-feira (30  de outubro). Com isso, ele diz que somente pagará  o que contrair a partir do dia 1° de Janeiro para frente.

Roberto França foi questionado se haverá risco de voltar atrasar salários caso seja eleito na disputa eleitoral do dia 15 de novembro, até porque a quantidade de servidores hoje é bem maior que naquela época em que foi prefeito. Ele justificou que a arrecadação hoje também é muito superior, algo em torno de R$ 3,3 bilhões contra os R$ 450 milhões que o município arrecadava no período em que ele chefiava o Executivo. Nesse contexto ele também afirma foi um dos poucos políticos que defendia e continua defendendo o servidor público.

“Ninguém defendeu mais o servidor Público de Mato Grosso que Roberto França. Todas as conquistas na Constituição do Estado foram apresentadas pelo deputado Roberto França, que na época era presidente da Constituinte de 88. Então, o maior defensor do servidor público foi Roberto França. O que eu posso garantir é que eu não vou cometer o mesmo erro de pagar contas atrasas de gestões anteriores porque eu peguei uma Prefeitura quebrada  e falida com seis folha e meias atrasadas”, destacou.

Leia Também

Menu