Gestão Emanuel Pinheiro fortalece a rede de saúde

Da Redação

Ao longo dos 4 primeiros anos de gestão, o prefeito Emanuel Pinheiro entregou quatro novas unidades básicas de saúde (sendo três lançadas em seu governo), uma nova unidade do Serviço de Assistência Especializada  (SAE), uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Verdão (que durante a pandemia funciona como referência para casos moderados de Covid-19) e o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) – Leony Palma de Arruda à população cuiabana e mato-grossense. Além dessas sete obras construídas, 23 unidades da atenção primária foram reformadas e/ou ampliadas entre 2017 e 2020.

Dentre as obras lançadas e concluídas na gestão de Pinheiro, estão as unidades básicas de saúde (UBS’s) dos bairros Jockey Clube (que beneficia famílias de 10 bairros da Regional Sul e tem capacidade operacional de 10 mil atendimentos por mês), Santa Terezinha/Itapajé (que atende mais de 10 mil pessoas da região), Parque Ohara (que atende a população de 11 bairros) e Ilza Terezinha Picolli Pagot (que atende a mais de 15 mil moradores). Também já estão prontas as unidades básicas de saúde do Residencial Nico Baracat e do Jardim Imperial, que devem ser entregues em breve.

Dessas obras, a UBS do Residencial Ilza Terezinha Picolli Pagot e a do Jardim Imperial foram herdadas da gestão anterior e estavam, em janeiro de 2017, com 49% e 50% de conclusão, respectivamente. Da mesma forma, a obra do HMC foi recebida pela gestão Emanuel Pinheiro com 27% de conclusão e a UPA Verdão com 39% de andamento.

Para o prefeito Emanuel Pinheiro, o marco de seu governo é a “mudança de prioridade”, fazendo obras públicas com qualidade de serviço privado para a população mais carente, que depende do Sistema Único de Saúde (SUS). “Não é fazer uma obra de qualquer jeito porque é pública, não! É fazer um hospital padrão hospital privado, melhor que os hospitais privados de Cuiabá para a população SUS, para os mais pobres, para os mais carentes. Para que eles se sintam, acima de tudo, honrados, dignificados, tanto o cidadão paciente, o cidadão SUS, como os profissionais da saúde e os servidores que trabalham nas unidades. Então, é uma quebra de paradigma. Não é porque é público que tem que ser de qualquer jeito, tem que ser a porta mais barata, a lâmpada mais barata, a pintura mais barata, o material de última categoria, não. É porque é público, é porque é para o povo, é porque é para o mais carente que tem que ser da melhor qualidade, que tem que ser padrão hospital privado!”, afirma o gestor, utilizando o HMC como exemplo.

Além das entregas de novas unidades, Pinheiro também garantiu ao longo de seu primeiro mandato a reforma e/ou ampliação de 23 unidades básicas de saúde nos bairros: São João Del Rey/Novo Milênio, Dom Aquino, Renascer, Jardim Fortaleza/Santa Laura, Jardim Vitória 1, Bela Vista/Carumbé, Pedra 90 – I e II, Jardim Florianópolis/Jardim União, Tijucal, Altos da Serra I e II, Despraiado I e II, Grande Terceiro, Novo Terceiro, Rio dos Peixes, CPA 3, Jardim Independência, Colorado I e II, Parque Atalaia I e II, Pedra 90 – IV e V, Centro de Saúde Ana Poupina, Clínica da Família do CPA 1, Centro de Especialidades Odontológicas do Dom Aquino.

Os destaques dessas obras de construção e reforma são o programa “Climatizar é Humanizar” – que garante ar condicionado em todas as salas das unidades, inclusive na recepção – e também o aumento das equipes de saúde bucal na atenção primária, que passou de 10 para 43 equipes. “Nós não só reformamos e demos dignidade àquelas instalações, como também ampliamos e climatizamos todas as dependências. Ampliamos para além do atendimento médico, o odontológico, ou seja, priorizamos a saúde bucal para a população carente, coisa que não existia em Cuiabá. Isso é atender com respeito a população”, avalia Emanuel Pinheiro.