Política

“Jamais vou exigir passaporte da vacina”

O presidente Jair Bolsonaro reiterou, na manhã desta quarta-feira (8), que não pretende exigir o chamado “passaporte da vacina” no Brasil. Um dia antes, o governo anunciou novas medidas nas fronteiras brasileiras para conter a variante Ômicron do coronavírus.

– Jamais vou exigir passaporte da vacina de vocês. Imagine se tivesse o Haddad no meu lugar – declarou o chefe do Executivo a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, referindo-se ao adversário do PT na última disputa presidencial.

Os ministros Marcelo Queiroga (Saúde), Ciro Nogueira (Casa Civil) e Bruno Bianco (Advocacia-Geral da União) informaram ontem um novo protocolo para entrada de viajantes no país, o qual deve ser formalizado em portaria a ser publicada ainda nesta quarta.

Pelas novas regras, quem não se imunizou contra a Covid-19 deverá fazer uma quarentena de cinco dias e só deixará isolamento após um teste RT-PCR negativo. Já quem se vacinou está dispensado do isolamento. Mas todos os viajantes devem apresentar um RT-PCR negativo feito 72 horas antes, ou teste de antígeno feito 24 horas, para entrar em território nacional.

Não ficou claro, contudo, como será feito o controle dos vacinados e dos não vacinados. Os ministros se recusaram a responder perguntas dos jornalistas presentes no pronunciamento e evitaram falar em “passaporte da vacina” ao longo da explanação, justamente para evitar um desconforto com Bolsonaro. (AE)

Leia Também

Menu