Esporte

Judô da Guarda oferece 50 vagas para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos

O projeto social “Judô da Guarda”, promovido numa parceria entre a Associação de Judô de Várzea Grande e a Guarda Municipal (GMVG), está com inscrições abertas. São 50 vagas disponíveis para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, que precisam estar matriculados na rede pública de ensino e/ou serem beneficiários de programas sociais do governo.

Para se inscrever, o pai, mãe ou responsável deve procurar a professora Sara Mikaelle nas aulas, que ocorrem todas as terças e quintas-feiras, das 18h às 19h, na base da Guarda Municipal, localizada na Avenida da FEB, nº 2.050, bairro Manga. A pessoa deve apresentar cópia dos documentos da criança/adolescente e do responsável, comprovante de residência e comprovante de que o aluno está matriculado na rede pública ou de que é beneficiário de programa social. Para mais informações, basta ligar para (65) 9 9972-9714 e falar diretamente com Sara.

O prazo para inscrição vai até o dia 29 de setembro. A instrutora informa que, no ato da matrícula, a criança/adolescente poderá fazer uma aula experimental para ter certeza de que deseja participar do projeto. As aulas são gratuitas, sendo opcional ao aluno comprar ou não kimono para realizar as atividades.

De acordo com a instrutora, as vagas disponíveis se abriram com a saída de ex-alunos que já completaram 18 anos. Atualmente, o projeto conta com 20 alunos regulares e os que se matricularem serão integrados a essa turma, conforme as vagas forem sendo preenchidas.


História do projeto

Sara Mikaelle conta que o Judô da Guarda começou em outubro de 2019, quando ela e sua colega, Darlúcia Moura, por meio da Associação de Judô, apresentaram a intenção de oferecer aulas gratuitas às crianças carentes para o então comando da GMVG, que aceitou a proposta, cedendo espaço para realização das aulas. As aulas eram oferecidas pelas duas professoras, mas, Darlúcia faleceu em março de 2021, vítima de covid-19. Desde então, Sara Mikaelle dá sequência ao projeto, por onde já passaram mais de 100 alunos.

Dentre esses, a professora destaca que alguns adolescentes, que entraram no início do projeto, têm se destacado no esporte. “O Edson, de 15 anos, foi vice-campeão nos Jogos Estudantis deste ano. Temos a Tiffany, uma menina que começou a treinar em outro município, se mudou para Várzea Grande e, pra não parar com o judô, ela procurou a gente e também foi um dos destaques dos Jogos Estudantis, ficando entre os três primeiros colocados”, conta Sara.

A história do Judô da Guarda se confunde com a própria história de sua idealizadora, Sara Mikaelle. Ela relata que também começou sua carreira no judô em um projeto social no município de Dom Aquino, em 2008, quando tinha 16 anos. A primeira competição dela foi em Tangará da Serra, seis meses depois de entrar no esporte. Logo no primeiro torneio, conseguiu o primeiro lugar em duas categorias. “Desde então, me apeguei ao esporte e passei a competir dentro e fora do estado. Fiquei sabendo que em Várzea Grande não tinha judô e me transferi pra cá, em agosto de 2011. Foi quando comecei com esse objetivo de procurar devolver a oportunidade que eu tive com as crianças e adolescentes”, conta.

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia Também