Política

Kalil e Hazama correm risco de cassação por abuso de poder e fakenews

Para o MPE, candidatos estão bancando jornal distribuído gratuitamente com fake news contra adversário

Da Redação

O Ministério Público Eleitoral (MPE) propôs uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) e pediu a cassação de registro e inegebilidade dos candidatos a prefeito e vice de Várzea Grande, Kalil Baracat (MDB) e José Hazama (DEM) por abuso de poder econômico.

De acordo com o promotor eleitoral, Marcelo Malvezzi, uma pessoa foi filmada distribuindo de maneira gratuita um exemplar de um jornal que tinha em sua manchete diversa fakenews contra o adversário de Kalil, Flávio Frical (PSB), ao mesmo tempo em que enaltecia as ações da prefeitura municipal.

Chamou a atenção do Ministério Público, o fato de o jornal ter um valor de venda fixado, porém ter sido distribuído em toda Várzea Grande de maneira gratuita. “Percebe-se que o periódico imprimiu enormes quantidades de material claramente difamatório ao candidato Flávio Frical”.

O MP também diz que apesar de a notÍcia não explicitar os nomes de Kalil e Hazama, que são os candidatos da Família Campos, de maneira direta, é fácil de deduzir que a distribuição do jornal tem o objetivo claro de beneficiá-los enquanto prejudica Flávio.

“Pelo exposto, requer o Ministério Público seja cassado o registro ou diploma dos investigados Kalil Baracat e José Hazama; e seja declarada a inelegibilidade dos investigados Kalil Baracat e José Hazama por oito anos a partir das eleições de 2020”, finaliza a manifestação.

Leia Também