Cidades

Kalil lança obras de pavimentação do bairro Nova Era e amplia para 100 km a meta de 2022

Revendo a meta de pavimentação de 2022 para 100 km de novas ruas e avenidas já pavimentadas ou a serem asfaltadas, o prefeito Kalil Baracat acompanhado pelo vice, José Hazama, secretários, vereadores, representantes da comunidade, autorizou o início das obras de pavimentação do Bairro Nova Era que integra a região do Grande São Gonçalo que fica ao longo da Avenida Alzira Santana chegando a Avenida Leôncio Lopes que dá acesso à Rodovia dos Imigrantes e a Região Oeste de Várzea Grande.

Serão investidos recursos públicos da ordem de R$ 2.543 milhões e contemplam quase 2 quilômetros de ruas e avenidas a serem pavimentadas. O custo elevado é decorrente da excessiva necessidade de drenagem na região, composto em quase toda sua totalidade de várzeas, encarecendo o valor do métro cúbico de obras de pavimentação, pois sem a drenagem a durabilidade do pavimento asfáltica é reduzido de forma drástica.

O bairro Nova Era integra a região do Grande São Gonçalo, que com estes 1.682 metros de pavimentos novos, totalizam 17 km de asfalto novo, levando dignidade a moradores que aguardavam mais de 30 anos pelo serviço.

Ao lançar as obras de pavimentação, Kalil Baracat destacou que atualmente existem 16 obras de pavimentação em execução na cidade, isso sem falar nas obras de recapeamento. Vamos encerrar este ano com 100 km de asfalto novos prontos e até 2024 pavimentar 250 km de novas ruas e avenidas, além de recapear outros 180 km de malha viária. “São metas e compromissos da minha gestão com a população de Várzea Grande. Com isso, a cidade ganha cara nova, gera valorização imobiliária e promove qualidade de vida aos moradores, além de gerar emprego e renda para muitas pessoas”, declarou o chefe do Executivo Municipal.

Segundo o secretário de Viação, Obras e Urbanismo do município, Luiz Celso de Moraes, a execução dos serviços de pavimentação, drenagem e sinalização já iniciam nesta quarta-feira, dia 24 de agosto e têm previsão de conclusão de até 180 dias. “É uma obra em parceria com a Caixa Econômica Federal, através do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento voltado ao Setor Público, o FINISA, e que com certeza irá mudar a realidade do Grande São Gonçalo. Pois, desde a sede da Prefeitura até a região da Avenida Leôncio, nada ficará sem ser asfaltado, são cerca de 17 quilômetros. Obras que iniciaram em 2017”, detalhou o gestor.

Natália da Silva nasceu no bairro e tem 37 anos. Chegou a se mudar após sua casa ser levada pela enxurrada de água da chuva, mas agora com asfalto passando na sua rua afirma que irá investir em uma nova residência. “Eu fiz questão de vir pessoalmente presenciar o lançamento do asfalto. A minha casa foi levada duas vezes pelas águas das chuvas e tive que me mudar. Com certeza esse asfalto que irá passar aqui em frente vai valorizar a região e trazer mais qualidade de vida. Eu vou reconstruir minha casa e voltar a morar aqui. Só tenho a agradecer”, detalhou a cidadã.


Para Maria de Fátima, que é paranaense e mora no bairro há 17 anos, o asfalto acabará com a poeira e a lama. “Para quem tem criança pequena é uma benção. Quando tem aquele poeirão ficam sempre doentes, agora isso vai acabar. E na época das chuvas vai acabar a lama, eu nem acredito, foram anos de espera”, relatou a moradora.

“O asfalto para nós será uma benção. Quando chovia aqui, virava só buraco e lama. A dificuldade para sair e chegar de casa era enorme. Até mesmo para carros passarem nas ruas era, às vezes, impossível. Só as máquinas que já passaram aqui melhoraram muito. Com o asfalto vai ser ótimo, pois vai ter rede de água e esgoto, boca de lobo, acabando com aquela água da rua”, declarou a presidente e moradora do bairro, Vilce Teixeira.

As ruas que serão asfaltadas neste novo contrato são: Batista das Neves, Cecílio Pereira, Jornalista Nilson dos Santos, Rio amazonas, Rio Tocantins e Rua Xingu.

SERVIÇO PÚBLICO E TRANSPARÊNCIA – Toda a obra de pavimentação ou recapeamento é rigorosamente fiscalizada tanto pela Prefeitura, bem como pelaprópria instituição financeira garantidora do empréstimo. Os dados da fiscalização institucional são recolhidos diariamente pelos engenheiros e são repassados ao Tribunal de Contas do Estado em tempo real, para alimentar o programa GeoObras do TCE-MT.

“Nosso setor é composto por 11 engenheiros civis, cada um é responsável pela fiscalização de uma obra, da verificação dos materiais empregados e qualidade. É feito relatório fotográfico diário de obra, onde eles relatam o que está sendo feito, em que passo está a obra, para termos um controle da execução. Os fiscais responsáveis no contrato emitem a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART, que dá a responsabilidade técnica da fiscalização executada nas obras. Todos esses dados alimentam o programa GeoObras do Tribunal de Contas do Estado. Assim damos transparência dos recursos públicos e a sociedade pode acompanhar cada passo executado”, detalha o engenheiro civil Victor Hugo Costa Rodrigues e fiscal de obras da Prefeitura de Várzea Grande.

Leia Também

Comentários