Policial

Ladrão mata professor enforcado com fio elétrico em Tangará da Serra

O autor do homicídio ocorrido na semana passada em Tangará da Serra (239 km a médio-norte de Cuiabá), teve o mandado de prisão temporária cumprido pela Polícia Civil, na quinta-feira (12..05), em ação da equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) com apoio dos policiais da Divisão de Repressão à Entorpecentes (DRE) do município.

No momento da prisão, o suspeito estava em posse do aparelho celular da vítima, instalado outro chip. Com ele, também foi apreendido a carteira e documentos do professor, além das chaves da casa da vítima.

O crime que vitimou o professor Murilo de Souza Feliciano ocorreu no dia 09 de maio, na residência da vítima, uma quitinete no centro da cidade, ocasião em a vítima foi encontrada sem roupas e com um fio de energia enrolado no pescoço, sendo morta por asfixia.

Após os fatos, o suspeito subtraiu a carteira com cartões, documentos, dinheiro, além do celular e do notebook da vítima. Ao sair do local, o suspeito trancou a porta, levando as chaves da residência.

Assim que foi acionada dos fatos, a equipe de policiais da DHPP iniciou as diligências para identificar e prender os autores do crime. Com base nos levantamentos, os policiais conseguiram chegar a identidade do autor do crime, que teve o mandado de prisão representado pelo delegado Jailson Peres da Silva, sendo a ordem judicial deferida pela Justiça.

O suspeito foi localizado pelas policiais da Delegacia de Tangará da Serra, na quinta-feira (12), próximo a sua residência, no bairro Barcelona. No momento da prisão, ele estava utilizando o aparelho celular da vítima, já com outro chip, e também apontou o local (um terreno baldio) em que ele havia jogado as chaves da residência do professor.

Questionado, o suspeito confessou o crime e disse que matou o professor com um mata-leão, após a vítima tentar manter relações sexuais com ele.

Ele foi conduzido à Delegacia de Tangará da Serra, para ser interrogado e posteriormente foi colocado à disposição da Justiça. As investigações seguem em andamento para conclusão do inquérito.

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia Também

Menu