Política

Mauro revela que tem seis opções para lançar a prefeitura de Cuiabá

O governador Mauro Mendes (União) analisou nesta terça-feira que seis nomes tem chances de disputar a prefeitura de Cuiabá, em 2024. Para ele, todos reúnem condições de vencer a disputa pelo palácio Alencastro.

Mauro Mendes esteve na cerimônia de assinatura do termo de ajustamento de conduta (TAC) que irá transferir a concessão da BR-163 para a MT Par, empresa pública com capital privado, no Palácio Paiaguás, sede do Poder Executivo de Mato Grosso, em Cuiabá, na tarde desta terça-feira (4). Jornalistas que acompanhavam a cerimônia conversaram com o governador, recém reeleito no último domingo (2) para o seu segundo mandato, e questionaram as perspectivas do cenário eleitoral de 2024, e a sucessão à prefeitura de Cuiabá.

Apesar de começar dizendo que “eleição 2024 só em 2024”, o governador avaliou que os 68,45% de eleitores mato-grossenses que votaram em sua candidatura, lhe possibilitando mais um mandato de 4 anos no Palácio Paiaguás, fizeram com que seu grupo político se fortalecesse. “Tenho a análise que saímos muito forte da eleição. O que vai acontecer no ano que vem, o que vai acontecer em 2024, depende muito da nossa capacidade de continuar entregando resultados”, analisou ele.

Indagado sobre possíveis nomes com potencial para disputar o Alencastro, Mauro Mendes analisou que o grupo possui um “Timaço”, que vai desde o presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (União), até o deputado federal eleito em 2022, Fábio Garcia (União) – conhecido como “a menina dos olhos” do governador. “Já tem Eduardo [Botelho], Fabinho [Garcia], [Rogério] Gallo, Beto 2 a 1, Gilberto [Figueiredo], Mauro Carvalho… É um timaço aí!”, exaltou o governador reeleito.


SECRETARIADO E MESA DA AL

Os jornalistas também questionaram a composição do secretariado na nova gestão de Mendes, que terá início no dia 1º de janeiro de 2023. O governador, por sua vez, começou dizendo que dorme “seis horas por dia”, e que não perdeu “nem um minuto de sono” com a questão. Mas adiantou que deverá encaminhar o tema a partir do dia 15 de dezembro de 2022.

“Vou tratar desse assunto lá pra dezembro, dia 15 de dezembro, eu começo a pensar nesse tema. E não vou vazar informação. Qualquer coisa que falar por aí é mera especulação. Se alguém falar tá especulando, tá chutando ou tá mentindo”, adiantou ele.

Sobre as eleições da nova mesa diretora do Poder Legislativo, o governador afirmou que “não se mete” no assunto, e também não garantiu a permanência do deputado estadual Dilmar Dal Bosco (União) como líder do governo no parlamento estadual. “É um novo governo, uma nova análise. O Dilmar foi um grande líder, mas nós vamos analisar isso com a nova assembleia no ano que vem”.

Leia Também