Política

Mendes tenta estadualizar Parque de Chapada dos Guimarães

KHAYO RIBEIRO

Gazeta Digital

O governador Mauro Mendes (DEM) propôs ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que estadualize o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães (67 km ao norte de Cuiabá). O pedido foi feito na manhã desta terça-feira, em Brasília, durante visita do chefe do Executivo estadual ao presidente.

 

Segundo Mendes, caso a cessão ocorra, o Estado poderá melhor explorar os potenciais turísticos do parque. Sem citar diretamente as ações concretas que poderiam ser executadas, o governador garantiu a concessão melhoraria a administração da área e traria benefícios inclusive na gestão ambiental.

“O governo de Mato Grosso tem na sua estratégia grandes investimentos na área de turismo e nós acreditamos que por ser um parque próximo da Capital, uma das principais potencialidades turísticas da região, nós queremos fazer muitos investimentos. E fazer como parque estadual seria mais fácil, principalmente sobre as questões ambientais”, disse.

“Ele está sendo cuidado dentro de uma diretriz estabelecida pelo ICMBio, e nós achamos que podemos fazer algo diferente e melhor. Manter essa preservação que é necessária, porém criar muitas mudanças que permitirão uma melhor utilização tanto dos mato-grossenses quanto de turistas que queremos atrair para o parque”, acrescentou.

O governador disse que o presidente afirmou ter encaminhado o tema ao Ministério do Meio Ambiente. Mendes acredita que há grande possibilidade de o pleito ser aceitado, sobretudo pela ação dos governadores que também estariam articulados na cessão do parque.

Ao GD, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Cesar Miranda, afirmou que já há uma tratativa em curso com previsão de obras para os atrativos turísticos da cachoeira Véu de Noiva e do Portão do Inferno.

Segundo o gestor, a discussão em torno de um termo de cooperação foi feita com o ICMBio – que administra o parque – e encaminhado ao Ministério do Meio Ambiente nesta terça-feira.


Com o aval do Ministério e posterior assinatura do convênio, o cronograma de ações prevê que as obras sejam licitadas e executadas em um prazo de até 8 meses. Conforme explicado por Miranda, ainda não há um cronograma das atividades e nem previsão orçamentária por conta de a discussão ainda estar em curso.

Contudo, o secretário afirmou que foi colocada em discussão a construção de uma passarela no Portão do Inferno. Miranda informou que o projeto foi melhorado, mas não poderia divulgar detalhes sem a aprovação do termo de cooperação.

“Foi aprimorado para ficar mais bonito, funcional e econômico e tendo o termo de cooperação assinado vamos poder dar início à licitação para execução da obra (caso tenha aval do MMA)”, afirmou.

1 Comentário. Deixe novo

  • Os caras não sabem nem inventar um argumento razoável. O parque nacional da chapada dos guimaraes ja esta no programa de privatizações (ppi) do desgoverno federal. Esses ratos querem duplicar a estrada e lucrar agora que viram o potencial de lucro desse, que esta entre os tres parques mais visitados do pais, querem grana.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Leia Também

Menu