Menino de 6 anos precisa de ajuda para tratar câncer em Barretos

JESSICA BACHEGA

Gazeta Digital

Há 4 meses, a bióloga Ana Cristina Silva viu sua vida e de sua família mudar totalmente. Nesse curto espaço de tempo, o filho Henrique Gabriel, 6, começou a passar mal e foi diagnosticado com câncer. Agora eles precisam de ajuda para manutenção do tratamento em Barretos, no interior de São Paulo.

Henrique é autista e faz acompanhamento com diversos profissionais. Sempre ativo, ele passou mal em fevereiro e reclamava de dores no estômago. Foram feitos vários exames e identificada anemia. O menino recebeu transfusão de sangue e foi para casa.

Em abril ele seguia se queixando de dores no estômago. A mãe percebeu desânimo na criança e perda do apetite. “Ele é muito ativo e não queria brincar, comer. Não queria fazer nada”.

Ele chegou a perder movimento do braço temporariamente e a boca entornou. A mãe o levou ao hospital e foi feito um exame de imagem na cabeça da criança, que não identificou nada de anormal. Foi feito também ultrassom do abdômen, e encontrados vários nódulos, sendo dois maiores. Ele também estava com a anemia muito grave.

A criança precisou ser operada e a cirurgiã conseguiu remover as duas massas maiores. Sobraram ainda 17 pequenas que devem sumir com o tratamento de quimioterapia. Os nódulos foram submetidos a biópsia, que confirmou que eram malignos.

Com a notícia e orientação da médica que acompanha o menino, a mãe conseguiu vaga para o filho no Hospital de Câncer de Barretos. “Os hospitais de Cuiabá estão saturados e o Hospital de Câncer não tem UTI. Conseguimos de um dia pro outro as doações para pagar passagem e vir para cá. Agora ele vai começar o tratamento”, conta a mãe.

A bióloga está desempregada desde dezembro e a única renda da casa vem do marido, que ficou trabalhando em Cuiabá, enquanto a esposa e o filho estão em São Paulo.

Por causa do tratamento, os avós do menino também estão em Barretos. Um grupo de ajuda foi criado para arrecadar recursos para a manutenção da família na cidade, enquanto Henrique faz o tratamento. “Eu não conseguiria ficar só com ele aqui nessa situação”, relata Ana Cristina.

Ainda não há previsão de quanto tempo irá durar o acompanhamento. Quem puder ajudar pode fazer as doações pelo banco Itaú, agência 7778, conta corrente 02910-3 ou Nubank banco 260, agência 001, conta corrente 75471045-4. CPF 975 871 681 68.

Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas com a mãe, pelo telefone (65) 99659-2454.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *