Economia

Mercado de artigos religiosos cresce em meio à crise

Da Redação

Empreender em meio à crise foi uma das grandes conquistas do casal Bruno Cesar Lourenço Teixeira, 30, e sua esposa Karla Vanessa Resende de Alencar Teixeira, 31. Diante das dificuldades impostas pela pandemia, eles aproveitaram o período de fechamento do comércio em julho de 2020, para abrir o próprio negócio e explorar um nicho de mercado que está em expansão na Capital mato-grossense, que é o de artigos religiosos.

Assim como a cada dia os terreiros de Umbanda e Candomblé recebem mais adeptos, também tem crescido a necessidade de atendimento a este público em Cuiabá e Várzea Grande. Atento a essa realidade, Bruno junto a Karla, resolveu lançar a @lojacasadosanto de forma virtual pelo Instagram.

A estratégia de trazer produtos com qualidade diferenciada, a diversidade de itens e o atendimento ágil deu certo, e três meses depois, o casal sentiu a necessidade de abrir um espaço físico, mantendo o sistema delivery que se transformou no diferencial para este tipo de negócio na Capital.

A loja Casa do Santo é especializada em artigos para religiões Umbanda, Candomblé, Católica e Esoterismo. São mais de 5 mil itens disponíveis para pronta entrega, sendo que a principal procura são por velas, incenso, imagens e banhos para as mais diversas finalidades.

Os produtos  mais procurados, diz Bruno, também foram os mais citados em uma pesquisa de mercado que o empresário fez junto ao público consumidor para saber quais itens eram os mais procurados nas lojas especializadas.

Bruno, que divide seu tempo no trabalho em um shopping, conta que desde quando chegou a Cuiabá há quatro anos, vindo do Rio de Janeiro, percebeu o potencial da cidade para o mercado de artigos religiosos.

“Quando eu cheguei eu conhecia apenas uma de artigos religiosos em Cuiabá, depois mais duas foram inauguradas, e por agora também abrimos a Casa do Santo. Quando eu inaugurei, estabeleci três metas importantes para a política da nossa empresa: preço mais baixo de Mato Grosso; um excelente atendimento e loja organizada. Temos conseguido colocar em prática essa missão, e a aceitação do público está sendo incrível”.

Para Karla a atuação no comércio de artigos religiosos tem sido algo novo em sua vida. Isso porque ela trabalhava no ramo de eventos, setor que foi o primeiro a ficar prejudicado pela crise provocada pela pandemia.

“No começo enfrentamos algumas dificuldades. Transformamos o quarto da nossa filha Bia em depósito. E pouco tempo depois nossa casa inteira estava tomada por produtos. Para mim também não foi fácil o fato que eu não tinha tanta familiaridade com os nomes das peças e produtos vendidos na loja. Mas agora já estou conseguindo dominar bem essa parte”.

Karla, antes de se tornar praticante da Umbanda era católica assídua e, por essa razão, precisou de um tempo até se familiarizar com os nomes das divindades da Umbanda e do Candomblé. Hoje, ela se dedica exclusivamente à loja.

Casa do Santo

Localizada no bairro Dom Aquino, em Cuiabá, a Casa do Santo recebe este nome em lembrança de um episódio que era recorrente na infância de Bruno. Ele relembra que quando era criança ficava subindo em cima da tronqueira que a avó dele tinha na frente da casa, no Rio de Janeiro.

“A tronqueira é onde é cultuado Exu, que para nós da Umbanda é nosso guardião e protetor, cuja firmeza fica protegida dentro desta pequena casa chamada tronqueira. Como eu era um menino muito malino, danado, vivia subindo na tronqueira para ver a rua por cima de um portão de grade, e minha avó vivia gritando: moleque sai de cima da casa do santo, não mexe na casa do santo!”.

Bruno conta que esses episódios sempre ficaram em sua memória e quando decidiu abrir a loja quis colocar o nome para homenagear a avó e eternizar as lembranças marcantes da infância.

Leia Também

Menu