Mercado imobiliário movimenta R$ 3,2 bilhões em MT

Da Redação

Com aproximadamente R$ 3,2 bilhões transacionados em 2020, Cuiabá registrou o melhor resultado em movimentação financeira no mercado imobiliário da capital, mesmo em meio à pandemia de Covid-19. O levantamento feito pelo Sindicato da Habitação de Mato Grosso (Secovi-MT), filiado à Fecomércio-MT, revelou o melhor desempenho desde o início da pesquisa, em 2015, quando foram movimentados  2,3 bilhões de reais.

O destaque ficou para os 737,5 milhões de reais em valores financiados junto às instituições financeiras, alta de 29,6% em relação a 2019 (R$ 518.9 milhões) e de 61,5% se comparado a 2015, quando somou 456,6 milhões de reais em financiamento.

Para o presidente do Secovi-MT, Marco Pessoz, o mercado macroeconômico, a exemplo da taxa de juros atingindo os menores índices da história, e o represamento para o consumo observado desde a crise iniciada em 2016 até o primeiro semestre de 2019, contribuiu para o bom desempenho dos indicadores da pesquisa atual.

“Antes, as pessoas não compravam porque não queriam, mas porque não tinham condições. Agora, com a queda da taxa Selic, o que refletiu na queda da taxa de juros de financiamento, houve um impulsionamento na venda de imóveis. A expectativa com o andamento das reformas essenciais (administrativa e tributária) devem alavancar ainda mais a economia e o segmento não somente na capital, mas em todo o estado e país”, disse Pessoz.

Com relação ao número de unidades vendidas, foram 9.383 imóveis (novos e usados) comercializados no período. Um aumento de 8,9% sobre 2019. A região que mais registrou expansão foi a Leste, com 3.108 unidades, seguida da Oeste (2.795). A região Sul contabilizou 1.861 unidades comercializadas e a Norte teve 1.472. A zona rural comercializou 147 unidades no período. O resultado atual somente é inferior ao primeiro ano de realização da pesquisa, quando foram comercializadas 10.411 unidades.

O estudo de evolução do mercado imobiliário conta com o apoio da Fecomércio-MT e é realizado desde 2015 pelo Secovi-MT em uma parceria com a Secretaria de Fazenda do município de Cuiabá, com fonte dos dados do ITBI municipal.