Agronegócio

Ministério da Agricultura diz que não há nova orientação sobre embarques para China

O Ministério da Agricultura esclareceu que não foi emitida nenhuma nova orientação aos frigoríficos a respeito de uma suspensão na produção de carne bovina para a China.

Em nota, a pasta explica que o que está definido é a suspensão da certificação de carne e produtos bovinos com destino ao país asiático desde 4 de setembro.

Na data, o escoamento foi paralisado de maneira voluntária pelo Brasil, por causa dos casos atípicos do “mal da vaca louca”. De acordo com o ministério, um ofício circular enviado aos chefes de serviços de Inspeção de Produtos de Origem Animal pode ter gerado uma interpretação diferente.

O documento autoriza, por 60 dias, a estocagem de produtos que iriam para a China e foi produzido antes de 4 de setembro.

No entanto, no dia 19, o Ministério da Agricultura publicou um ofício suspendendo a produção para o país asiático.

Preço do boi gordo

O preço do boi gordo continua em queda no mercado brasileiro, e também o da carne bovina no atacado, informa o Centro de Estudos Avançados em Economia Agropecuária (Cepea), em relatório. A queda é efeito da suspensão das compras da China.

No entanto, o Cepea observa que a arroba do animal para abate tem cedido mais rapidamente do que o da proteína bovina – assim, a carne no atacado passou a ser negociada a valores acima dos observados para a arroba, cenário que não era observado desde agosto de 2020.

Segundo o Cepea, na parcial de outubro (até o dia 19), enquanto o indicador do boi gordo Cepea/B3 (mercado paulista) registrou média de R$ 276,43 por arroba, a carcaça casada foi comercializada no atacado da Grande São Paulo por R$ 288,45 a arroba, ou seja, com vantagem de R$ 12,02 para a proteína vermelha.

Em setembro passado, o boi gordo era negociado a R$ 1,90 por arroba acima da carne no atacado, e, em outubro de 2021, a vantagem do animal sobre a proteína era de R$ 5,24 por arroba. Já em agosto de 2020 – até então, última vez que a carne havia apresentado vantagem sobre o animal para abate -, a diferença era de R$ 4,55 por arroba, com o boi cotado a R$ 291,36 e a carne a R$ 295,91/arroba.

No caso do boi gordo, as cotações têm sido pressionadas pelo afastamento de grande parte dos compradores. Esses agentes evitam adquirir grandes lotes de animais, diante da manutenção da suspensão dos envios de carne à China.

“Além disso, a oferta de animais de confinamento tem crescido nas últimas semanas, reforçando o movimento de queda nos preços da arroba”, diz o centro de estudos. Quanto à carne negociada no atacado, o aumento na oferta de animais – e a consequente queda de preços – se soma ao poder de compra fragilizado da maior parte da população brasileira. (Canal Rural)

Leia Também

Menu