Policial

MT leiloa R$100 milhões na Secretaria de Segurança

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), por meio da Adjunta de Justiça (Saju), realizou, durante o ano de 2021, um total de 25 leilões de bens provenientes do tráfico de drogas e do crime organizado, e arrecadou cerca de R$ 100 milhões aos cofres públicos. Esse resultado recorde é fruto da modernização e do fortalecimento das forças de segurança pública de Mato Grosso no combate e repressão às ações praticadas por criminosos.

Somente neste ano, os itens leiloados do crime organizado totalizaram um montante de aproximadamente R$ 105 milhões. Já os bens do tráfico de drogas somaram cerca de R$ 4 milhões. Foram leiloados 177 itens, dos quais: 126 veículos, três aeronaves, 28 implementos agrícolas e 20 imóveis entre casas e fazendas. Além disso, 1.098 cabeças de gado foram arrematadas nos leilões.

A arrecadação deste ano é maior do que a registrada em 2020, quando o patrimônio apreendido de criminosos do crime organizado resultou em R$ 4 milhões; e itens do tráfico de drogas foram revertidos em um capital de quase R$ 3,5 milhões. No caso de certames com bens procedentes de apreensões do combate ao tráfico de drogas no Estado, os valores arrecadados dos lotes são revertidos para o Fundo Nacional Antidrogas (Funad) e 40% ou mais fica para o Estado de Mato Grosso. Já os itens oriundos do crime organizado passam por tratativas para realização do repasse futuramente ao Estado.

A secretária-adjunta de Justiça, Lenice Barbosa, explica que os recursos financeiros arrecadados com as vendas dos leilões são aplicados em políticas públicas de segurança, e que o planejamento para 2022 é conseguir ampliar cada vez mais e obter recursos para o fortalecimento das ações.

“Este ano conseguimos arrecadar com os leilões um valor superior do que tínhamos previsto e isso é muito bom, pois o nosso objetivo é fortalecer cada vez mais as ações de políticas de segurança. Esperamos que no ano que vem consigamos captar um recurso financeiro ainda maior, dessa forma, investindo e revertendo o capital em projetos e ações em prol da segurança”, destacou a secretária-adjunta de Justiça.

Desde o início da pandemia do coronavírus (Covid-19), os leilões passaram a ser realizados totalmente de forma online. Para fazer a visita e verificação dos lotes era preciso o agendamento prévio, por meio de telefone ou e-mail disponibilizado em cada leilão, sendo permitido um visitante por horário disponível, a fim de garantir as determinações das autoridades públicas e de saúde quanto ao combate à pandemia do coronavírus.

Leia Também

Menu