Policial

Mulher que acusou motorista de aplicativo de estupro já acusou outros sete homens

O motorista de aplicativo, de 62 anos, que havia sido preso na última terça-feira (23), em Sorriso (416 km de Cuiabá), foi solto na tarde desta quinta (25) após passar por audiência de custódia e ser constatado que ele não tinha estuprado a passageira que o denunciava. O motorista de app, foi acusado de estuprar uma mulher, de 21 anos, e deixá-la nua em uma região de mata no bairro Rota do Sol.

Segundo as informações da Polícia Civil, durante a audiência de custódia, os exames apontaram que o estupro não foi consumado. O que chamou a atenção da polícia é que a suposta vítima já estaria envolvida em outros 7 casos de abuso e tentativa de estupro, todos contra motoristas de aplicativos.

Conforme a delegada, Jéssica Cristina, que está investigando o caso, durante depoimento a vítima disse que apenas chamou o homem para ir beber com ela e alguns amigos, mas que durante trajeto o homem teria mudado a rota. Por falta de provas contra o idoso, ele acabou sendo liberado, mas o caso segue sendo investigado.

O caso


O motorista de aplicativo, de 62 anos, foi preso acusado de estuprar e abandonar passageira vítima em um matagal, durante uma corrida por aplicativo. O fato aconteceu no dia 23 de agosto, no bairro Rota do Sol, em Sorriso. Na ocasião, o homem negou as acusações e disse que a relação foi consensual.

Aos militares, a mulher disse que estava bebendo em um bar quando solicitou a corrida com destino ao bairro Rota do Sol. Durante o trajeto, o motorista passou em uma distribuidora, comprou bebidas e em seguida seguiu viagem. Segundo ela, ao perceber que o motorista estava fazendo um caminho errado, ela reclamou, mas ele parou próximo a um mato, onde cometeu os abusos. Em seguida foi embora.

Já o suspeito apresentou uma versão totalmente diferente. Disse que após ter sido chamado para beber com a vítima e outros amigos, ela disse que teria um ‘fetiche’ de transar no mato e pediu que ele realizasse, e que, quando chegaram ao local, ela teria abaixado seu short e feito sexo oral nele. Disse ainda que após o crime a mulher dormiu e ele ainda tentou acordá-la, mas acabou desistindo e indo embora.

Leia Também

Comentários