Cidades

Na fila do osso, idoso clama a Deus para conseguir emprego

Jessica Bachega

Gazeta Digital

Uma vez por semana o idoso João Barros de Oliveira, 77, pega doações de ossos na casa de carne do bairro CPA 2. Nesta quinta-feira (12), ele quase ficou sem o alimento, pois a distribuição já havia sido feita quando chegou. Há anos o aposentado deixou o Pará em busca de melhor condição de vida em Cuiabá, mas os dias têm sido difíceis.

Com a esposa doente e outras 3 pessoas morando na casa, a aposentadoria mal dá para a alimentação. Há 5 anos ele está sem emprego e vez ou outra consegue um trabalho temporário como servente de pedreiro, carregador, capina de quintais para complementar a renda. “Quem me dera ter um trabalho, é o que eu mais quero. Já pedi pelo amor de Deus para conseguir um, mas não consigo”, afirma o idoso.

A idade atrapalha na busca por uma ocupação, mas o idoso não se abate. “Não importa a idade, o que conta é a disposição e eu tenho”.

O último trabalho foi de ajudante de jardinagem.  “O jardineiro que eu ajudava morreu de covid, depois não consegui mais nada. É muito difícil. O que eu mais queria era um trabalho. A gente paga aluguel, minha mulher é doente. O dinheiro não dá”, conta.

Vestido com roupas doadas, o idoso saiu do bairro Doutor Fábio 2, enfrentou dois ônibus para chegar ao local de doações. No fim da manhã, ele esperava solitário pelo donativo que garante uma refeição da família.

“Eu cheguei atrasado, mas disseram que vão arrumar alguma coisa para mim. Estou esperando”, conta encostado na parede sob o sol quente.


O idoso conta que sempre trabalhou na roça,  a esposa adoeceu e ele se mudou do Pará para Cuiabá. Uma filha morava aqui, mas se mudou posteriormente. Ele e a família permaneceram na Capital por conta dos tratamentos de saúde realizados pela família.

Ele fez cadastro para receber casa popular, mas nunca foi contemplado. “A doação ajuda muito. Graças a Deus, mas o que eu queria era um trabalho”, relata.

As doações no local ocorriam as segundas, quartas e sextas, porém a demanda aumentou muito e não havia donativos para todos. Para evitar que as pessoas fossem embora sem nada, agora as doações ocorrem as segundas e quintas.

Caso alguém precise de mão de obra para serviços gerais, servente ou qualquer outro trabalho, o contato de João Barros é (65) 9 9332 1248.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Leia Também

Menu