Petrobras acelera saída do segmento de transporte de gás natural no Brasil

A Petrobras iniciou, na última quarta-feira (23/12), o processo de venda de suas participações na Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil – TBG (51%) e na Transportadora Sulbrasileira de Gás S.A. – TSB (25%). Com o início do desinvestimento, todos os ativos de transporte de gás natural antes no portfólio da Petrobras no Brasil já foram vendidos ou estão em processo de alienação, demostrando o comprometimento da companhia com a abertura do mercado de gás no país.

Esta medida visa atender os compromissos definidos no Termo de Cessação de Conduta (TCC) assinado em julho de 2019 com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O TCC tem como objetivo reduzir a participação da Petrobras nesse mercado, aumentando a competição. A iniciativa da Petrobras alinha-se à estratégia de otimização do portfólio e melhoria de alocação do capital da Petrobras, em busca da maximização de valor para seus acionistas.

“A Petrobras encerra 2020 melhor do que era no fim do ano passado, apesar da pandemia e da recessão global, de intensidade sem precedentes. A companhia dá mais um passo importante para a abertura do mercado de gás natural para a competição, o que terá a sociedade brasileira como principal beneficiária”, diz Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras.

Além dos desinvestimentos na TBG e na TSB, a Petrobras está vendendo os 10% remanescentes no capital da Nova Transportadora do Sudeste S.A. (NTS), detentora de 2 mil quilômetros de dutos nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. Em 2017, a companhia já havia vendido os outros 90%.

Em julho de 2020, a Petrobras concluiu a venda dos 10% de participação na Transportadora Associada de Gás S.A. (TAG), dona de 4,5 mil quilômetros de gasodutos, nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Um ano antes, a companhia havia vendido os outros 90% que detinha na TAG.