Cidades

Profissionais orientam motoristas sobre doação de órgãos em Cuiabá

SETEMBRO VERDE

Profissionais do Hospital São Mateus, em Cuiabá, realizam nesta quarta-feira (28) o segundo dia de conscientização sobre a importância da doação de órgãos. A ação foi realizada na av. Historiador Rubens de Mendonça faz parte da programação do Setembro Verde, mês dedicado à divulgação do tema.

“Doe amor, doe vida, doe órgãos” é o lema que marca essa campanha de conscientização sobre este tema que ainda é pouco tratado no Brasil. Com uma simples manifestação de vontade sobre a doação pós morte, uma única pessoa pode salvar a vida de vários pacientes”, destaca a assistente social do Hospital São Mateus, Helida Ivanna.

Foi o que aconteceu com a estudante Vanessa Nalim, 33 anos, que em julho de 2021, recebeu transplante de rim, depois de ter ficado cinco anos na fila de espera por um doador. Ela descobriu que tinha problemas renais quando fez um exame para verificar sobre a possibilidade de uma nova gravidez, foi constatado que não poderia engravidar em razão dos problemas decorrentes da insuficiência renal.


Ela precisou fazer diálise três vezes por semana durante os anos que aguardou um doador compatível. “Hoje estou realizada, se estou viva é porque recebi o sim de uma família. Você que está vivo, tome essa decisão agora para ser um doador”, conclama.

Para Hélida, o grande problema que ainda cerca o déficit de doadores de órgãos – e segundo o Ministério da Saúde existem mais de 40 mil pessoas na fila de espera hoje no Brasil – é que muitas pessoas desconhecem o tema ou o encaram como tabu.

“Existem mais pessoas na fila do que pessoas conscientizadas em doar. O grande medo da sociedade se dá por não conhecer essa realidade das pessoas que estão na fila do transplante para continuar vivendo”, pondera.
Para ser um doador basta a declaração de vontade aos familiares, que também podem tomar essa decisão em casos específicos de morte como a encefálica após a devida avaliação médica.

Leia Também

Comentários