Política

Projeto atenderá crianças e adolescentes carentes em Cuiabá

Da Redação


A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, durante reunião nesta quarta-feira (4), no bairro Itapajé, com apoiadores e simpatizantes à reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), garantiu que a meta para próxima gestão será criar o “Projeto Cuiabaninho” – voltado as crianças e adolescentes do sexo masculino com idade entre 6 a 17 anos.

Conforme a primeira dama, a ideia é criar uma versão do projeto Siminina, para atender os meninos. ” Serão aulas de artes marciais, informática, arte e cultura, inglês, atendimento psicológico, atendimento odontológico e uma grade de atividades esportivas disponíveis aos meninos. Queremos que eles possam estudar para  continuarem sendo um homem de bem”, cita a primeira-dama, destacando que em cada sede do projeto Siminina será instalado nas proximidades, o  projeto Cuiabaninho.

A primeira-dama explicou também, que para o próximo ano está previsto a criação do projeto para amparar os ‘filhos do feminícido’, que são crianças que tiveram suas mães mortas pelos companheiros. “Receberem um recurso da Prefeitura de R$ 500 reais até elas completarem a maioridade. As crianças as vezes ficam com os avós ou tios e muitas vezes eles não têm condições de cuidar da criança e decidimos criar esse benefício para crianças vítimas dessa realidade que temos que acabar com ela”, contou ela.

Márcia  aproveitou o encontro com os moradores para falar sobre  o fortalecimento dos projetos sociais na atual gestão, por exemplo, o Siminina, que teve o número de  vagas ampliado de 700 para 1.500 e de 15 polos de atendimento para 20. “A meta é ampliar ainda mais na próxima gestão. Queremos continuar esse projeto de mudanças e melhorias na vida das pessoas mais humildes”.

Ela também destacou os avanços com o projeto Qualifica Cuiabá 300, que já formou mais de três mil novas empreendedoras e também Programa Casamento Social Cuiabá 300 anos.

Jéssica de Arruda Cruz, moradora do Itapajé, teve seu casamento realizado no  casamento comunitário e fez dois cursos no Qualifica Cuiabá. Ela disse que hoje tem uma profissão porque a prefeitura possibilitou isso. “Tive um casamento dos sonho. Eu e meu marido ganhamos tudo, desde o vestido, maquiagem, aliança, cabelo e o meu esposo ganhou o terno, o sapato e cabeleireiro. As alianças, o álbum e tudo. Foi perfeito. Quero dizer que hoje eu trabalho, tenho uma profissão por causa do Qualifica”, finalizou Jéssica.

Leia Também