Projetos de inovação de estudantes do Senai MT são premiados

0
4
Hand holding polygonal lamp on grey background with copyspace. Enlightenment and innovation concept. 3D Rendering

Estudantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Mato Grosso (Senai MT) foram premiados na 12ª Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação 2020 (MECTI), realizada neste mês. Dois projetos são da unidade em Sinop e dois de alunos do Senai Várzea Grande.

Premiado na categoria Economia criativa, o projeto Açaí Stone Power, da estudante Maria Eduarda de Melo, pretende dar um destino sustentável ao resíduo da produção de açaí, que é o caroço do fruto. Mais de 87% da produção de açaí é feita nos estados do Amazonas e Pará.

Pelo projeto, o subproduto se transforma em um pó rico em vitaminas B1, B2 e E, além de conter propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. O pó poderá ser utilizado pela indústria de cosméticos como em esfoliantes corporais, por exemplo.

De acordo com a instrutora do Senai Sinop, Sheila Santos, o resultado demonstra que a metodologia adotada pelo Senai contribui efetivamente para formar profissionais qualificados.

“A metodologia Senai garante ao estudante uma formação voltada à inovação e que permite que seja um profissional capaz de solucionar problemas reais das indústrias. Estimulamos a inovação porque sabemos que isso contribuir para o crescimento das empresas e geração de mais empregos. É gratificante ver que estamos cumprindo o nosso papel como educadores”, afirma Sheila.

Mais prêmios

Na categoria Engenharia, foram premiados os projetos ‘CONCREPET: Aproveitamento do descarte de material de consumo PET e derivados de polímeros’, do jovem Ezequiel Massola do Senai Sinop, e o ‘Reglass’, da estudante Isabela Gomes do Senai Várzea Grande. Este pretende transformar a garrafa de vidro ‘long neck’, que não tem valor atrativo em reciclagem, em um pó que pode ser utilizado como fundente por indústrias cerâmicas. Assim, reduz o custo de produção e contribui com menos resíduo no meio ambiente.

Motivada a encontrar uma alternativa para ajudar pessoas que têm dificuldades em administrar a rotina de medicamentos, a aluna Maria Caroline Tessaro, do Senai Várzea Grande, desenvolveu o projeto Tech Med.

Por meio de um aplicativo, uma caixa de MDF com seis repartições e um mini teclado retrátil se transforma em um instrumento capaz de avisar com sinais sonoros e luzes de LED o remédio a ser ministrado, conforme programação pré-definida. O projeto pode ser, também, configurado em um smart relógio.

Os dois projetos do Senai Várzea Grande são de alunos do Ensino Médio Integrado Sesi e Senai, que permite uma formação integral, com aulas do ensino regular simultâneas ao ensino técnico profissional.

“O Tech Med, por exemplo, foi desenvolvido porque a Maria Caroline já tinha sabe programar no arduíno, um diferencial que os nossos estudantes possuem por meio do Novo Ensino Médio. As premiações demonstram que esse é o caminho certo”, disse o instrutor Tiago Finati.

A 12ª MECTI foi realizada em parceria com o Instituto Farmun e contou com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A mostra ocorreu durante a 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui