Cidades

RoadShow com chineses encurta distâncias e desperta interesse de empresários e investidores várzea-grandenses

 

Várzea Grande, sede do primeiro e único Parque Tecnológico de Mato Grosso, quer ser referência no País nesse segmento que cria, transforma, amplia e dissemina tecnologia e inovação. E a cidade, que recebe o título de ‘Cidade Industrial’, está no caminho certo e pronta para trilhar em uma nova direção – tornar-se uma cidade-polo na prestação de serviços e um porto pra recepção de inovações que possam atender a todos os segmentos da economia.

A vocação está aliada à demanda. É o que garante o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat. “Estamos abrigando o primeiro Parque Industrial de Mato Grosso. Nossa cidade será o epicentro da tecnologia, berço de inúmeras inovações que, com certeza, vão dinamizar processos, acelerar a automação e reduzir custos. Fora isso, teremos uma mão de obra altamente qualificada, que vai reestruturar médias salariais em outros patamares e ser também um diferencial na nossa cidade”, pontuou.

O Parque Tecnológico é uma obra do Governo do Estado, com parceria da Prefeitura de Várzea Grande. A previsão é de entrega para o final do primeiro semestre de 2023. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Turismo de Várzea Grande integrou o primeiro Encontro de Intercâmbio e Matchmaking, o “Exchange and Matchmaking Meeting for XMTORCH-based Companies and Their Brazilian Counterparts”, realizado na manhã desta terça-feira (28), entre empresas de tecnologia instaladas na Zona Hi-Tech de Xiamen, na China, e congêneres de Mato Grosso.

O evento promovido pelo Governo de Mato Grosso, foi transmitido ao vivo pela Secretaria e contou com a presença de empresários e investidores várzea-grandenses de vários setores da economia. “A sala foi pequena para acolher os empresários e seus representantes. Essa presença efetiva mostra que existe interesse, que a demanda é latente e que estamos na direção certa ao encurtar distâncias e promover o estreitamento ou mesmo o início das relações com os empresários e industriais chineses”.

O titular da Pasta explicou que a criação de um espaço na Secretaria para a transmissão ao vivo do evento, direto na China, teve o objetivo de atrair empresários para que conheçam o projeto do Parque Tecnológico, que conheçam as ações que estão sendo impetradas tanto por parte do Estado quanto do Município. E, mais que isso, “saibam que a secretaria é parceira e pode ser uma grande aliada para tomada de decisões. Esse intercâmbio, sem dúvida, aproxima, estabelece relações e coloca comprador e vendedor em contato direto. O mais interessante do RoadShow é que demanda por esse intercâmbio partiu dos empresários de Xiamen”, destacou o secretário.

Charles Caetano reforçou que a gestão Kalil Baracat está focada na atração de investimentos e empresas, tanto para diversificação do Distrito Industrial como também para o Parque Tecnológico. “Recentemente, o prefeito, acompanhado de secretários como Dito Loro e eu, pudemos conhecer Parques Tecnológicos que hoje são referência no País, como o de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Conhecemos ideias, projetos e trocamos informações. Um dado que nos surpreendeu e reforçou nossa vontade de fazer do nosso Parque uma referência nacional, foi saber que 40% do PIB de Santa Catarina tem origem no Parque Tecnológico deles. Pensávamos que fosse o turismo”, exclama.

Na abertura do evento, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), Maurício Munhoz, destacou que o evento era uma oportunidade de abertura de diálogo entre Mato Grosso e a China. O RoadShow, como explicou o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Turismo de Várzea Grande, Denival Bitencourt Reinaldo, atraiu empresários, muitos já estabelecidos na cidade, de segmentos como energia solar, da indústria do aço e produção de móveis, comunicação, construção civil, biodiesel e telecomunicações, ainda representantes da Associação Comercial e Industrial de Várzea Grande (Acivag) e do Distrito Industrial.

PARTICIPAÇÃO – O empresário Edvan Assunção, do setor de audiovisual, acredita que o Parque Tecnológico vai ser um marco para Várzea Grande e também diferencial da nova fase da economia local. “Vir aqui hoje é uma oportunidade, antes de qualquer coisa, de conhecimento e de atualização. “Meu setor é altamente dinâmico em relação ao emprego de tecnologias e o alvo perfeito para inovações. Fico feliz em saber que a minha cidade está na rota das grandes inovações”.

Presente ao evento na Secretaria, estava o gerente do Senai-VG, Odair Rosa Dias. Como ele explica, o Senai é uma instituição que tem como missão ser a indutora de novas tecnologias. “O Parque aqui em Várzea Grande amplia possibilidades tanto para disseminação e criação de novas tecnologias, quanto de qualificação. Entendemos a necessidade da indústria e moldamos inovações e pessoal para esse atendimento. Não tenho dúvidas que, por meio do Parque, vamos ampliar essa rede de relacionamento e de captações de startups”.

O presidente da Associação de Industriais do Distrito Industrial de Várzea Grande, Nivaldo Donizeti Caldas, destaca que automação é a palavra-chave dentro do setor industrial. “É a nossa busca, uma necessidade. Já fui convidado para conhecer o projeto do Parque Tecnológico três vezes, mas somente hoje vim ver e sentir o que podemos usufruir dele. Existe realmente muita coisa chegando e poderá ajudar cada segmento desse setor”.

INTERCÂMBIO – O XMTORCH é o modelo exato do novo perfil de relacionamento adotado pelo Parque Tecnológico MT, destaca Munhoz. “Estamos falando de uma grande oportunidade de intercâmbio e negócios, entre diferentes empresas que não estão propriamente preocupadas apenas em captar investimentos. As possibilidades de relação são as mais variadas, desde a busca por parceiros que possam atuar como representantes comerciais de marcas e produtos, até a busca por mercados com nichos específicos de consumidores, como o agronegócio, tecnologias para saúde, e entre outras parcerias”, defendeu o secretário da Seciteci.

O encontro contou com a participação de 10 empresas chinesas de alta tecnologia, como a GOPRO Electronics e a Zeesan Biotech, que apresentarão seus produtos e serviços, e intenções de cooperação para parceria e negócios com instituições e empresas brasileiras.

As apresentações do Xiamen Torch trouxeram empresas com produtos e serviços nas áreas de:
– controle de epidemias/desinfecção
– reagentes e instrumentos de diagnóstico molecular
– efeitos visuais, design de animação
– tela de LED; módulos de LED e luminárias
– baterias de lítio de nova energia
– nuvem + terminal de videoconferência
– comunicação de voz IP e soluções de colaboração
– soluções de condução autônoma/radar de ondas milimétricas
– baterias de lítio/soluções de energia verde.

POR FALAR EM CHINA… – A China é o maior parceiro comercial do Brasil e de Mato Grosso. É grande importador de soja em grão e carne bovina, commodities em que o Estado lidera a produção. Considerando apenas a pauta mato-grossense de exportações, dos mais de US$ 14,13 bilhões em receita consolidada por embarques realizados de janeiro a maio deste ano, a China é responsável por US$ 6,1 bilhões, ou 43,2% do faturamento global de Mato Grosso, no período. Na comparação anual, a demanda chinesa aumentou 38% em relação a 2021.

Leia Também