Política

Secretário admite “cobiça” de aliados, mas descarta deixar cargo em MT

Silvano Amaral afirma que investimentos de R$ 185 milhões gera interesse de políticos na Agricultura Familiar

Da Redação

O secretário de Agricultura Familiar, Silvano Amaral (MDB), disse que interesses políticos do próprio MDB e de outros partidos têm sido o motivo para que sua saída da pasta seja cogitada. Em entrevista à imprensa, Amaral negou qualquer tipo atrito com a legenda e disse que é “comum” a cobiça pelo cargo.

“Há muito tempo a secretaria de Agricultura Familiar não tem o potencial que ela tem hoje. E quando o governador lança recursos de R$ 185 milhões para fazer o que há muitos anos não se faz na agricultura familiar, gera um interesse natural, não só do MDB, como de toda classe política”, disse.

As declarações ocorrem após membros do partido manifestarem uma insatisfação com a atuação de Amaral no comando do Seaf. A pasta é única que o MDB comanda no governo Mauro Mendes.

Alguns representantes do próprio MDB chegaram a contestar alguns posicionamentos do emedebista. Apesar do entrave, o ex-deputado garante que não existe nenhuma desavença nesse sentido. Afirma também que irá continuar no comando da pasta e que estará presente nos próximos encontros da legenda.

Segundo ele, o partido está se reestruturando para as eleições de 2022. “Eu continuo na pasta e o governador nem comentou este assunto. Nunca me perguntou nada sobre isso. Falei com a deputada Janaína, o deputado Juarez também me ligou para fazermos uma agenda para discutir a estruturação do partido. Vamos discutir isso sem problema nenhum”, concluiu.

 

Leia Também

Menu