CidadesSaúde

Sem UTIs, familiares de 59 pacientes se desesperam8

Gleid Moreira

A Gazeta

Em colapso pela falta de UTIs, Mato Grosso bateu pelo segundo dia consecutivo a taxa de 99% (98,96%) de ocupação de leitos hospitalares exclusivos para covid-19. No momento, tem disponíveis apenas 10 vagas, sendo que cinco estão bloqueadas. Com volume de 59 pacientes aguardando por um leito intensivo, a maioria da Baixada Cuiabá, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) pediu socorro a outros estados para fazer a transferência. Porém, ainda não houve confirmação oficial se ajuda ocorrerá.

O Estado vive hoje situação inversa à ocorrida em janeiro deste ano, quando Mato Grosso prestou assistência a pacientes vindos de Rondônia, cedendo leitos de UTI para o tratamento dessas pessoas que esperavam por uma vaga em seu estado de origem.

A SES informou que, além da Baixada Cuiabana, há 8 solicitações de UTI para Rondonópolis, 5 para o município de Cáceres e outras solicitações são para as cidades de Sorriso, Colíder, Aripuanã, Sapezal, Confresa, Cotriguaçu, Juruena, Diamantino, Poconé e Rosário Oeste.

O caos que se instalou preocupa a população e, em desespero, familiares de pessoas internadas com coronavírus no Hospital Municipal de Referência ao Tratamento da Covid-19 (antigo Pronto-Socorro), em Cuiabá, fazem vigília na frente da unidade. Na tarde deste domingo (7), um grupo orava de forma fervorosa em pedido por intercessão a um paciente internado na UTI. Conforme o boletim epidemiológico da SES de ontem, Mato Grosso ultrapassa os 6 mil mortos pela doença (6.016) e contabiliza o total de 261.116 infectados por coronavírus.

 

Leia Também

Menu