Servidores realizam buzinaço contra Mauro

0
0

THALYTA AMARAL

Gazeta Digital

Servidores da educação realizam uma carreata na manhã desta terça-feira (15) contra o governador Mauro Mendes (DEM). Na pauta, o congelamento dos salários e o direito à eleição dos diretores das escolas. Os professores e funcionários saíram do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e passaram pelo Palácio Paiaguás, Ministério Público do Estado (MPE) e Tribunal de Contas do Estado (MPE).

“O governo do estado de Mato Grosso é aquele que busca precarizar a carreira dos trabalhadores da educação para precarizar o serviço público e não respeitar aquilo que foi conquistado à duras penas”, afirmou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep), Valdeir Pereira.

Um dos pontos de polêmica entre a categoria e o governo é a escolha dos diretores de escolas, que desde a década de 1990 era feita por eleições nas comunidades escolares, que foram adiadas pela atual gestão e agora suspensas, com substituição por processo seletivo para diretores.

Outra questão que foi alvo de buzinação, inclusive em frente à Assembleia Legislativa foi o cumprimento da lei 510/2013, aprovado no governo de Silval Barbosa, que previa a dobra do poder de compra, ou seja, o aumento dos salários acima da inflação, mas que não foi cumprido em 2019 e 2020.

“Sabemos do limite da pandemia, sabemos que se fosse outro contexto, os trabalhadores estariam mobilizados e quiçá estariam em uma segunda greve. Mas não podemos descansar um minuto sequer contra o governo do estado”, argumentou o presidente do Sintep.

De acordo com Pereira, a categoria também é contra o retorno das aulas presenciais. “Qualquer retomada às atividades às aulas presenciais é um risco para as nossas crianças. Entendemos a necessidade de interação com os nossos estudantes, mas não da forma como vem acontecendo, que tem excluído parcela dos nossos alunos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui