Política

Servidores tentam anular votação que manteve alíquota para inativos em MT

Parlamentares que declararam voto pela derrubada do veto são mais que números computados

Da Redação

O Sindicato dos Trabalhadores do Tribunal de Contas de Mato Grosso protocolou um ofício, na manhã desta quinta-feira (18/2), na Assembleia Legislativa no sentido de questionar a confiabilidade do sistema de votação eletrônica da ALMT. O SinttContas requereu ainda o reconhecimento de nulidade absoluta da votação por divergência entre a manifestação dos parlamentares e o resultado computado.

No último dia 10 de fevereiro, a Assembleia Legislativa colocou em apreciação os vetos do Poder Executivo Estadual referentes ao Projeto de Lei Complementar 36/2020 que buscava alterar a base de cálculo para a incidência da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas. O placar foi apertado e o veto total foi mantido por 12 votos contra 11. Entretanto, durante a sessão, 14 deputados manifestaram terem votado para derrubar o veto.

O SinttContas questiona a lisura do sistema de votação e requer que seja realizada uma auditagem no sistema eletrônico para que as votações não sejam desacreditadas. “Durante a própria sessão plenária, doze deputados estaduais usaram a tribuna para declarar seus votos pela derrubada do veto. Outros dois, que participavam virtualmente da sessão também declararam voto nesse sentido. A ALMT tem de tomar uma providência, a fim de que não paire qualquer dúvida acerca da lisura de caráter dos parlamentares estaduais”, disse o presidente do SinttContas Vander da Silveira Melo.

O documento foi protocolado na ALMT com a presença de servidores do TCE e diretores do SinttContas. “Exigimos uma resposta dos nossos representantes. O sistema eletrônico precisa ser verificado. Caso esteja funcionando perfeitamente, a falta de confiança poderá recair sobre aqueles que usaram a tribuna e disseram lutar pelos servidores públicos”, disse Vander.

Leia Também

Menu