Cidades

VG encerra ano do “Projeto Saúde e Qualidade de Vida a pessoa idosa”

 

A equipe da Atenção Primária , que também cuida da Saúde da Pessoa Idosa de Várzea Grande, vinculada à secretaria Municipal de Saúde, realizou nesta quarta-feira (1), uma grande confraternização com os idosos, que frequentam as Unidades Básicas de Saúde do município, no encerramento das atividades do ano, do programa da promoção a Saúde da Atenção Primária.

O evento teve como objetivo fechar as atividades desenvolvidas por todas as unidades durante o ano e visou também levar um pouco de alegria aos idosos atendidos na rede SUS do município, com interação social e muita alegria. Neste dia os idosos puderam conhecer a Banda Municipal que se apresentou no evento, para o entretenimento dos grupos.

“A maioria dos idosos é portadora de doenças ou disfunções orgânicas, porém não significa restrições ou limitações de suas atividades e participação social. A nossa área técnica de Saúde da Pessoa Idosa da Saúde Municipal, segue as diretrizes do SUS para o cuidado com as pessoas idosas , com atenção integral, na ampliação do acesso da pessoa idosa nas Redes de Atenção à Saúde. A Atenção Básica, principal porta de entrada para o SUS, trabalha no cuidado desse público, com acesso a médicos, exames, participação em grupos de qualidade de vida, interação dos idosos pertencentes às suas comunidades, e sendo auxiliados por equipes interdisciplinares. Algumas iniciativas integradas são importantes para cuidar da saúde física e mental dos nossos idosos. É uma grande honra podermos realizar essa confraternização tão importante . Agradeço a presença de todos e cumprimento em especial as equipes de saúde, pelo desprendimento em favor das pessoas idosas de nosso Município”, afirmou o secretário Municipal de Saúde, Gonçalo de Barros.

Para o secretário, todos os idosos merecem respeito e dignidade, para que tenham uma qualidade de vida adequada. As atividades desenvolvidas nas Unidades Básicas de Saúde revelam o empenho da Administração Municipal em manter essas pessoas assistidas em suas necessidades básicas em saúde, também ao direito do lazer de qualidade e sua inserção no meio social, através de atividades educativas e de promoção humana.

“Vale lembrar que estes atendimentos e projetos que são específicos para a melhor qualidade de vida deste público na Saúde, faz parte de nossas políticas públicas , visto que eles precisam de maiores cuidados, precisam ter uma participação ativa junto a sociedade civil e que ajuda a reduzir a vulnerabilidade e risco social”, concluiu o secretário.”

“A nossa proposta de Modelo de Atenção Integral à pessoa idosa, têm este propósito, de orientar,organizar, e ofertar o máximo de serviços possíveis, que venham dar aos idosos uma vida mais saudável. Por isso potencializamos as nossas ações e desenvolvemos novos projetos, para que eles se sintam atraídos, e entendam, que a unidade de saúde básica, é o local ideal, para buscar tratamento, entretenimento, e participar de projetos e programas que aumentem o seu bem estar”, concluiu Gonçalo de Barros.

“O grupo Qualidade de Vida é um exemplo que deu certo, onde todas as unidades básicas desenvolvem ações de orientações e praticam exercícios físicos, orientações de uma boa alimentação, sem sair do contexto econômico em que vivem. O resultado está aí, hoje revelado, com um grande número de idosos que aderiram aos nossos programas . É isso que pretendemos. Mesmo diante da Pandemia, com os cuidados necessários, estes idosos que participam das atividades, possuem sua carteira vacinal em dia, controlam semanalmente sua pressão e glicemia, se tratam de hipertensão e outras doenças. Nós os conhecemos e sabemos, onde moram. A Unidade Básica é o apoio em Saúde de cada idoso morador de Várzea Grande”, disse o superintendente de Atenção Primária em Saúde, Geovani Renfro.

Para as amigas e vizinhas, moradoras do Bairro Maringá III, D. Maria Bertila de Souza, 67 anos e D. Serafina Pereira , de 65 anos, a participação nos grupos e ações de Saúde do PSF da Região, tornaram a vida delas mais leve, e com capacidade de locomoção, visando novas perspectivas de vida. Com sorriso no rosto, as amigas revelaram que só ficavam em casa, agora muito mais com medo da pandemia.

“Ao frequentar a unidade de saúde, as possibilidades de interação e as necessidades de saúde de cada uma foram resolvidas. Vacinadas, controlando a pressão arterial, e fazendo exercícios, nas unidades, tudo mudou. Somos mais felizes. As equipes maravilhosas. Aprendemos muito sobre a pandemia, cuidados. A nossa saúde mental estava em risco, só medo, medo. Aprendemos a lidar com o coronavírus, a nos cuidar e realizar ações de bem estar junto às equipes da saúde. Carteira vacinal em dia. O resultado é este, muita alegria em nossos corações. Aprendemos a cuidar um pouco de nós, ao invés de nos preocupar com os outros”, relatou d. Maria Bertila, que se expressou também pela amiga.

Já o Sr. Nelson Teixeira, de 70 anos, e sua esposa, Eli Lopes Teixeira, de 68 anos, disseram que foram atraídos pela Unidade de Saúde, quando sua esposa precisou de cuidados. “ Ali mesmo fomos convidados a participar das ações da Unidade de Saúde do Cristo Rei . Na hora achei besteira, mas depois de uma longa conversa com a médica, porque tanto eu como minha esposa tomamos remédios controlados de hipertensão e diabetes, ela nos incentivou a participar por 1 dia. Aí não paramos mais. Esquecemos as doenças, e voltamos a viver melhor, mais dispostos”, disse o Sr. Nelson Teixeira.

Leia Também

Menu